quarta-feira, 27 de julho de 2011

O Perfume - Patrick Süskind

Detalhe da Capa
Lembro que a primeira vez que vi esse livro foi na cabeceira da cama da mãe de uma amiga minha, eu era muito novinha ainda, mas como sempre tive uma queda por livros, abri e li o primeiro parágrafo que ficou gravado em minha memória.
  
Um dia, muito tempo depois, estava xeretando no sebo e encontrei um exemplar, me lembrei de como tinha ficado impressionada com a idéia de alguém nascendo em meio a um monte de tripas de peixe – era o primeiro parágrafo ressurgindo dos reconditos da minha mente – e comprei. Li assim que comprei, então já faz algum tempo, mas não me esqueci da história porque ela é bem original.

Esse livro também foi minha primeira indicação e empréstimo para o Davi, logo que a gente se conheceu e, acho que de tanto eu gostar de livros, isso acabou influenciando ele também. Ele adorou.

Bom, chega de devaneios, vamos a história do livro. O personagem principal, Jean-Baptiste Grenouille é uma pessoa estranha, ele tem um super olfato, mas não tem cheio algum, e isso faz com que ele passe desapercebido pela multidão, como se ele fosse invisível. O seu olfato super desenvolvido permite que ele sinta os cheiros, mesmos os mais imperceptiveis, e ele vai guardando em sua memória, como se fosse um arquivo.

Durante certa época de sua vida ele se torna aprendiz de perfumista. Ele consegue entender que a maior atratividade de uma pessoa está, na verdade, em seu perfume natural, assim, ele encontra uma jovem considerada linda, que ele entende ter um odor especial. De tanto desejá-la – na verdade desejar seu cheiro – ele acaba por matá-la, e assim ele acaba matando umas 25 mulheres, todas ruivas, porque elas são as mais belas, ou, as mais cheirosas!!

Depois dessa fase em Paris, Jean-Baptiste passa um tempo isolado, como um eremita, e nesse tempo ele organiza em sua mente as informações “odorificas” que ele juntou durante sua vida e, quando ele retorna à civilização, ele conhece a mais bela de todas as mulheres que ele também acaba por matar para “pegar” seu cheiro. Com isso ele cria o perfume perfeito e, quando volta a Paris, usando o perfume, ele é esquartejado e morto a bocados por moradores de rua que, naquele momento, sentem-se extremamente felizes como se tivessem realizado a coisa mais importante de suas vidas.

Olha, é uma história realmente original e que eu gostei muito, além disso, eu acho uma ótima dica para pessoas mais jovens que ainda não tem o hábito de ler, pode ser o primeiro de muitos livros!!!

Ah... já ia me esquecendo. O livro virou filme, mas eu ainda não assisti mas vou colocar algumas imagens abaixo!! :o)








Fica ai a dica!

Beijos e boa leitura!!
Fefa Rodrigues

5 comentários:

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Fefa!

Sobre o seu comentário de DOrian Gray, eu li o livro porque sabia que ia virar filme (eu não sabia que já tem outra versão mais antiga, mas essa eu não assiti). Eu já conhecia a história, mas sinceramente não esperava gostar tanto do livro. Tenta ler de novo, quem sabe com outra mentalidade você gosta?

Beijos,




PS: adorei o novo template!

Tais Oliveira disse...

Fê eu adorei esse Filme é muito bom!!

Bjus

morettiiiiii disse...

eu tinha esse livro...e um dia eu o esqueci na carteira do salles gomes...espero que quem o achou o tenha lido...pq eu estava gostando... =(

Nerito disse...

Eu li esse livro em uma reunião do clube de leitura em que faço parte. É um livro muito bom e o que mais fascina é a forma em que a história é contada. É um tipo de livro em que o jeito de contar é tão importante quanto o próprio enredo, pois é necessário dar conteúdo e sentido às escolhas tão bizarras de Grenouille.

Eu assisti o filme muito antes de ler o livro. Não entendi nada e fiquei chateado, achando que o livro era ruim. Depois que li o livro, percebi que nenhum dos dois era ruim, mas eu é que estava fazendo as perguntas erradas a uma história singela e muito, muito profunda.

Abraço!

Anônimo disse...

Eu Concordo completamente com o ``Nerito´´ .