quinta-feira, 31 de maio de 2012

A Gripe do Amor

Tenho sido displicente, confesso. Sequer troquei a foto da minha autal leitura, abandonei Cemitério de Praga em favor de O Historiador, leitura que vai muito bem por sinal, mas não estou lendo com a mesma rapidez de sempre, muito trabalho para fazer lá em casa, espero finalizar o texto e entregar a encomenda no máximo até o próximo feriado e, assim, ficarei livre a noite e poderei voltar pra minha vida de leitora insaciável!!! 

Enquando isso, posto palavras de outros... e hoje vou postar esta letra da Rita Lee, muito boa!!!:o)


A Gripe do Amor

Não há vacina
Nem vitamina
Pega só de olhar
Não tem benzedeira
Chá de erva cidreira
Capaz de curar
A gripe do amor
 

Causa dependência
Provoca furor
Manemolência
O coração não bate
Apanha!
A alma faz mãnha


Peguei a gripe do amor
Não adianta doutor
Tô tendo um piripaque
Por favor não me salve
Quero morrer de amor...(2x)


Se você me ama
Vem ficar de cama
Vem cuidar de mim
Por uma semana
Um mês, um ano
A vida inteira


Peguei a gripe do amor
Não adianta doutor
Tô tendo um piripaque
Por favor não me salve
Quero morrer de amor!.


Falando nisso, tá chegando o dia dos namorados né!!!:o)
Beijos...
Fefa Rodrigues

terça-feira, 29 de maio de 2012

A Mulher de Preto

Junte um casarão antigo e em ruínas, uma vila cheia de pessoas supersticiosas, crianças que morrem misteriosamente, uma família que passou por uma perda traumática e a lenda de que o casarão é assombrado, tudo isso na Inglaterra do início do século XX. Assustador!!


Assiti a este filme ontem e levei vários sustos. O filme conta a história do jovem advogado Arthur Kipps que, após perder sua esposa e ficar sozinho com seu filhinho, tem uma última chance de manter seu trabalho, e é enviado para uma pequena cidade do interior para avaliar os bens deixados por um cliente que acaba de falecer. Depois de ser impedido de ficar no pequeno hotel da cidade, ele acaba se instalando no casarão do falecido cliente, que fica literalmente no meio do nada e lá, enquanto levanda a extensa documentação, coisas estranhas começam a acontecer.

 
Como Kipps passa bastante tempo sozinho no tal casarão, o filme se passa quas em silêncio, sem muitos diálogos, e isso criou um clima de suspense e tensão muito legais. E para mim, só o ambiente do filme já vale a pena, pois como já cnsei de dizer por aqui, eu amo casarões antigos, e sempre que olho para um desses, imagino um fantasma na janela. 

 
É um bom filme e eu adorei o comentário do site Omelete sobre ele, que vou trancrever:

"Nas histórias de terror não tem emprego pior que procurador, advogado ou escriturário. Como Jonathan Harker aprendeu em Drácula, é meio caminho para ver-se sozinho e indefeso em imóveis mal assombrados - porque mesmo os castelos da Trânsilvânia precisam estar com a papelada em dia, afinal."


Só é estranho ver o Daniel Radcliffe em outro papel que não o Harry Potter, mas achei que ele conseguiu se sair bem!!!

E, acho que poderia ter sido desenvolvida melhor a história da mulher-fantasma, mais detalhes... Ainda assim recomendo.



Beijos;
Fefa Rodrigues


sexta-feira, 25 de maio de 2012

É possível...


“Entendo que é possível olhar nos olhos de alguém - ouvi-me dizer - e de súbito saber que a vida será impossível sem eles. Saber que a voz dessa pessoa pode fazer seu coração falhar e que a compania dela é tudo que sua felicidade pode desejar, e que a ausência dela deixará sua alma solitária, desolada e perdida.”

                                                  As Crônicas de Artur - O Rei do Inverno 

 
Bom fim de semana, e que seus olhos encontrem o amor...
Fefa Rodrigues

terça-feira, 22 de maio de 2012

Amar...

"Amar é ter um pássaro pousado no dedo.
Quem tem um pássaro pousado no dedo sabe que,
a qualquer momento, ele pode voar”

                                Rubem Alves



E isso dá um medinho, não dá??
Beijos,
Fefa Rodrigues

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Adélia Prado

Para começar bem a semana, nada melhor do que um pouco de assombro nas palavras de Adélia Prado.


Um dia,
como vira um navio
pra nunca mais esquecê-lo
vi um leão de perto.
Repousava
a anima bruta indivídua.
O cheiro forte, não doce,
cheiro de sangue a vinagre.
Exultava, pois não tinha palavras
e não tê-las prolongava-me o gozo:
é um leão!
Só um deus é assim, pensei!
Sobrepunha-se a ele
um outro animal
radiando na aura
de sua cor maturada.
Tem piedade de mim, rezei-lhe
premida de gratidão
por ser de novo pequena.
Durou um minuto a sobre-humana fé.
Falo com tremor:
eu não vi o leão,
eu vi o senhor.

                                                  Adélia Prado

Boa semana a todos...
Beijos,
Fefa Rodrigues

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Praticando yoga durante leitura

Eu estava dando uma olhada no blog Tá e dai? e me deparei com essa imagem ai abaixo... nossa cara, não??




Beijos e boa leitura!!!
Fefa Rodrigues

Sem você

Hoje a Taís me mostrou essa música da Paula Fernandes, eu não sou fã de música sertaneja, mas esta cantora não é exatamente sertaneja, né?A voz dela é linda e eu gostei muito da letra, então, vou postar.


Eu sem você

Eu tô carente desse teu abraço
Desse teu amor que me deixa leve
Eu tô carente desses olhos negros
Desse teu sorriso branco feito neve


Eu tô carente desse olhar que mata
Dessa boca quente revirando tudo
Tô com saudade dessa cara linda
Me pedindo fica só mais um segundo


Tô feito mato desejando a chuva
Madrugada fria esperando o sol
Tô tão carente feito um prisioneiro
Vivo um pesadelo, beijo sem paixão


Tô com vontade de enfrentar o mundo
Ser pra sempre o guia do seu coração
Sou a metade de um amor que vibra
Numa poesia em forma de canção


Sem você sou caçador sem caça
Sem você a solidão me abraça
Sem você sou menos que a metade
Sou incapacidade de viver por mim


Beijos e boa sexta-feira a todos;
Fefa Rodrigues

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Tenho visto tanto...

Na minha postagem anterior, sugeri que as pessoas colocassem suas frases preferidas, retiradas de seus livros mais queridos. A Orquidea, amiga aqui do blog, colocou três trechos e um deles me fez pensar em algumas coisas que tenho visto nestes últimos dias, vou repetí-la abaixo:

"Para ser honesta, não consigo imaginar como alguém poderia dizer "Eu sou fraco" e continuar assim. Se você sabe isso a seu respeito, por que não luta contra, por que não desenvolve o caráter? A resposta deles sempre foi: "Porque é muito mais fácil não fazer isso!" Essa resposta me deixa desencorajada. Fácil? Quer dizer que também é fácil uma vida de mentiras e preguiça? Ah, não, não pode ser verdade. Não pode ser verdade que as pessoas se sintam tentadas pela facilidade... e pelo dinheiro."

O Diário de Anne Frank - página 332


Nos últimos anos tenho visto tantas pessoas que alardeiam sua fraqueza como forma de conquistar um pouco da atenção de outros. Estou me cansando disso e principalmente de que estes outros continuem a oferecer sua atenção.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Algumas das melhores frases...

Eu tenho o costume de deixar ao lado da minha cama um caderno e uma caneta para poder anotar as frases que eu gosto durante a leitura... Aqui vão algumas de minhas preferidas...


"Uma mente necessita de livros da mesma forma que uma espada necessita de uma pedra de amolar se quisermos que se mantenha afiada." 

                                           Tyrion Lannister - Guerra dos Tronos


"Este lugar é um mistério, Daniel, um santuário. Cada livro, cada volume que você vê, tem alma. A alma de quem o escreveu, e a alma dos que o leram, que viveram e sonharam com ele. Cada vez que um livro troca de mãos, cada vez que alguém passa os olhos pelas suas páginas, seu espírito cresce e a pessoa se fortalece. "

                                                        A Sombra do Vento - Zafón


"Para conhecer o caráter de alguém, observe como ele trata seus inferiores"


                                           Harry Potter - A Ordem da Fênix

"A gente só se lembra do que nunca aconteceu."

                                                                    Marina - Zafón 


Vou fazer isso mais vezes...  até colocar todas as frases que estão anotadas no meu caderninho!!!
E então, qual é a sua frase preferida???



Beijos,
Fefa Rodrigues        


sexta-feira, 11 de maio de 2012

O Fantasma de Canterville

Quando li O Retrato de Doryan Gray fiquei um pouco decepcionada, como comentei aqui no blog, pois, apesar de toda vontade que tinha de ler este clássico, não gostei muito da história nem da forma como ela é narrada. Não gostei do personagem principal, na realidade, não gostei de nada. Estes meus comentários geraram certa revolta por aqui e, inclusive, um comentário anônimo me chamado de estupida

Desde então, não li mais nada de Oscar Wilde até que, procurando sobre histórias de fantasmas e casarões antigos (coisa que eu adoro), descobri este pequeno livro que conta a história de uma rica família norte-americana que compra a propriedade de Canterville, na Inglaterra, um enorme casarão que, além de decorado ao estilo vitorino, é assombrado pelo fantasma de Simon de Canterville, um dos ancestrais proprietários do local, que assassinou sua própria esposa na biblioteca de depois desapareceu.

O Sr. Otis, embaixador norte-americano comprou a casa ciente da existência do fantasma e se mudou para lá com sua família. Assim que a familia chegou, o fantasma iniciou suas atividades e é aí que começa a parte engraçada. Na primeira noite, quando o fantasma anda pelos corredores arrastando suas correntes, o Sr. Otis abre a porta do quarto e, com toda a praticidade, oferece ao fantasma um produto para lubrificar suas correntes, para que elas não façam tanto barulho... e assim as tentativas do desventurado fantasma de assombrar a família tem inicio... mas, na verdade, quem aterroriza o pobre coitado são os filhos do Sr. Otis.

O tal fantasma sofre horrores nas mãos dos gemeos e do menino mais velho, chegando a ficar mais assutado do que poderia pensar em assutar!! Praticamente um fantasma em depressão... até que uma amizade florece entre ele e a a filha mais nova do embaixador, a jovem Virgínia.

É interessante a diferença com que o autor molda os personagens que são norte-americanos, modernos, pragmáticos, sem qualquer interesse pelos costumos antiquados e pelos ideiais medievias e, de outro lado, os personagens ingleses, cheios de seus modos rebuscados e cavalheirescos... e como uuns menosprezam os outros por estes modos!

Adorei o livrinho. Muito fácil e gostoso de ler.

Bem, depois de não ter gostado muito de O Retrato de Doryan Gray, este texto, apesar de bem pequeno, me agradou bastante!!!

Beijos, bom fim de semana, com muita leitura, cinema e comida gostosa!!!
Fefa Rodrigues





Dança dos Dragões

Recebi hoje um e-mail das Lojas Americanas anunciando a pré-venda do livro Dança dos Dragões, por R$ 44,90, com prado de entrega de 53 dias. Já comprei o meu... e pra todo mundo que estava esperando anciosamente a continuação da saga... o preço bem legal!! 




O duro é esperar 53 dias...

Beijos,
Fefa Rodrigues

quinta-feira, 10 de maio de 2012

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Para viver um grande amor

Gente, eu nunca li um texto tão perfeito. Eu acho inscrível como os poetas conseguem captar detlhes da vida e torná-los poesia: 

Para Viver Um Grande Amor

                                                                      - Vinicius de Moraes -

Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso, muita seriedade e pouco riso - para viver um grande amor.

Para viver um grande amor, mister é ser um homem de uma só mulher; pois ser de muitas, poxa! é de colher... - não tem nenhum valor.

Para viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro - seja lá como for. Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada - para viver um grande amor.

Para viver um grande amor, vos digo, é preciso atenção como o "velho amigo", que porque é só vos quer sempre consigo para iludir o grande amor. É preciso muitíssimo cuidado com quem quer que não esteja apaixonado, pois quem não está, está sempre preparado pra chatear o grande amor.

Para viver um amor, na realidade, há que compenetrar-se da verdade de que não existe amor sem fidelidade - para viver um grande amor. Pois quem trai seu amor por vanidade é um desconhecedor da liberdade, dessa imensa, indizível liberdade que traz um só amor.

Para viver um grande amor, il faut além de fiel, ser bem conhecedor de arte culinária e de judô - para viver um grande amor.

Para viver um grande amor perfeito, não basta ser apenas bom sujeito; é preciso também ter muito peito - peito de remador. É preciso olhar sempre a bem-amada como a sua primeira namorada e sua viúva também, amortalhada no seu finado amor.

É muito necessário ter em vista um crédito de rosas no florista - muito mais, muito mais que na modista! - para aprazer ao grande amor. Pois do que o grande amor quer saber mesmo, é de amor, é de amor, de amor a esmo; depois, um tutuzinho com torresmo conta ponto a favor...

Conta ponto saber fazer coisinhas: ovos mexidos, camarões, sopinhas, molhos, strogonoffs - comidinhas para depois do amor. E o que há de melhor que ir pra cozinha e preparar com amor uma galinha com uma rica e gostosa farofinha, para o seu grande amor?

Para viver um grande amor é muito, muito importante viver sempre junto e até ser, se possível, um só defunto - pra não morrer de dor. É preciso um cuidado permanente não só com o corpo mas também com a mente, pois qualquer "baixo" seu, a amada sente - e esfria um pouco o amor. Há que ser bem cortês sem cortesia; doce e conciliador sem covardia; saber ganhar dinheiro com poesia - para viver um grande amor.

É preciso saber tomar uísque (com o mau bebedor nunca se arrisque!) e ser impermeável ao diz-que-diz-que - que não quer nada com o amor.

Mas tudo isso não adianta nada, se nesta selva oscura e desvairada não se souber achar a bem-amada — para viver um grande amor.


Beijos...
Fefa Rodrigues.

 

A Menina que Roubava Livros

Já faz muito tempo desde a última vez que um livro me fez chorar. Uns 15 anos. Ontem, chorei outra vez.


Engraçado que demorei tanto para ler esse livro. Lembro-me de quando ele estava sendo super comentado e minha sobrinha o ganhou. Apesar de gostar muito de histórias da II Guerra, não quis ler, em grande parte, porque a Dani me disse que o livro era chato. No sábado, perguntei para ela a razão daquela opinião, e ela me disse que não gostou da forma como a história era narrada, com aquelas pausas, frases curtas e a Morte, a narradora, contando antes o que aconteceria apenas no fim.

Para mim, esta forma diferente de escrever foi o único detalhe que desagradou. A história é extremamente tocante e das histórias passadas durante a II Guerra que eu já li, foi a melhor. Uma história narrada pela Morte, eu ainda não tinha visto. 

Uma história passada durante a guerra, mas que tem seu foco não em um campo de concentração, ou num esconderijo sujo, não no front de batalha... mas em uma ruazinha com nome de céu, em um bairro pobre, numa pequena cidade alemã.

Liesel é uma garota de 11 anos sendo levada para um lar adotivo. No caminho, seu irmão morre e, durante o enterro, ela comete seu primeiro roubo. Um livro derrubado na neve. Logo pensei que o lar adotivo seria aquele modelo padrão de sofrimento e maus-tratos. Mas não. Seu pai adotivo a ensina a ler, e assim começa sua relação de amor com os livros. No decorrer da história, ela vai roubar vários outros livros, e estes serão seu maior tesouro.

O livro é cheio de cenas do dia-a-dia dos moradores da Rua Himmel e de momentos marcantes.Tenho certeza de que nunca vou esquecer algumas coisas como a Morte dizendo que “tem aquela questão das 40 milhões de almas que eu levei, mas isso já está virando um eufemismo”. Ou quando Max pintou as páginas de Mein Kampf e sobre a tinta, e mais ainda, sobre as palavras de ódio, escreveu a história da amizade entre um judeu e uma menina alemã. Quando Liesel e Rudy deixaram migalhas de pão espalhadas pelo caminho dos prisioneiros judeus, e claro, quando Liesel lia enquanto estavam no abrigo durante os bombardeios.

Durante a leitura me lembrei de um texto da Lya Luft que li há tanto tempo. Ela dizia que "somos anjos montados em porcos". Esse livro me fez pensar e repensar essa frase. Realmente, os seres humanos são capazes de enormes atrocidades e de gestos de grandeza. 

E então eu chorei. 

Já disse aqui que, quando algo me toca demais, tenho dificuldade em expressar esses sentimentos. Esta é a resenha mais difícil que eu já fiz, porque ainda há um nó na minha garganta após o fim da leitura, e as lágrimas, enquanto eu escrevo, embaçam meus olhos.

Então, para nós que amamos os livros, esta é uma história linda, de amor, amizade e de como os livros podem ser redentores!!!

Beijos,
Boa leitura...
Fefa Rodrigues

domingo, 6 de maio de 2012

Conheça a Blogueira!!!!

Eu recebi um selinho da Gabi, do blog Abrindo os Livros, mas não sabia que eu também podia responder às perguntas!!! hehehe


1. Quando nasceu a idéia de criar o blog?

Eu nem sabia o que era blog, quando uma amiga me apresentou ao blog de uma amiga dela (hehehe). Na verdade era um blog de moda, e então eu fui conhecendo outros e outros e descobri os blogs sobre livros e outras coisas que eu gosto. Então comecei a pensar em ter um também, até tentei montar um que se chamaria “Etc...”, mas não consegui. Ano passado conheci no trabalho a Tais, do blog La Modee, e quando ela me disse que tinha um blog, pedi a ajuda dela para fazer o meu... e foi assim que nasceu o Apaixonada por Papel!!!


2. Origem do nome do blog.
Como eu disse ali em cima, primeiro eu tinha pensado em “Etc...”, porque pretendia falar de vários assuntos. Mas, um dia estava conversando com meu amigo Moreti, sobre livros eletrônicos, e na conversa eu falei “mas eu sou mesmo é apaixonada pelo cheiro do papel...”. Quando fui montar o blog, me lembrei da conversa e me decidi por esse nome!!


3. Você tem outros blogs além deste?
Não, este é meu único!!!


4. Já pensou em desistir do seu blog alguma vez?
Para falar a verdade nunca pensei nisso, porque o blog, além de ser um meio de contato com pessoas que conheci através dele e com quem eu simplesmente amo conversar, é um dos meus “hobys”!!


5. Mande uma mensagem para seus leitores e seguidores.
Obrigada!! É isso que tenho a dizer. Obrigada por considerar relevante ler o que eu escrevo...  eu fico muito feliz a cada dia quando olho as estatísticas do blog e mais feliz ainda quando conheço pessoas tão legais por meio dele... pessoas com quem eu posso conversar sobre minha maior paixão!!!

Sobre a blogueira:
Uma música: bittersweet symphony – The Verve (a melhor música de todos os tempos!!)
Um livro: Os Miseráveis – Vitor Hugo (essa pergunta é uma crueldade!!!)
Um filme: O Plano Perfeito
Um hobby: ler, é claro, e escrever o blog!!
Um medo: do escuro (o escuro me assusta também Gabi!!)
Uma mania: Eu tenho várias manias... mas qual eu vou confessar aqui?? Acho que a menos embraçosa é a de nunca parar a leitura em um a página de número impar e não conseguir dormir se eu perceber que um dos livros está no "lugar errado" na prateleira...
Um sonho: viver um tempo no exterior
Não consigo viver sem: meus livros, meus irmãos, o Léo a Dani e o Davi!!
Tem coleção de alguma coisa: livros e moedas que são trazidas de viagens
Gostaria de fazer uma pergunta aos próximos participantes: Uma pergunta que eu sempre faço quando percebo que a pessoa é uma leitora... Qual é seu livro preferido?
Do que mais gosto no meu blog? De encontrar as mensagens dos amigos!!!

Indico:
Bernard Cornwell Brasil
Destante
Desventuras Amorosas
Dos meus Livros
Na Trilha dos Livros
O Guardião
O Guardião da Muralha
O Tempo entre Meus Livros
Sol de Austerlitz
Super Antenadas
Um livro por Dia
Universo Literário

E claro, Abrindo os Livros da Gabi!!!!;o)

São estes que eu visito todos os dias!!! E para ir até eles, basta clicar ali no blogrol!!

Gabi, mais uma vez obrigada!!!

Beijos,
Fefa Rodrigues

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Algo sobre As Crônicas do Gelo e Fogo

Quem é fã de alguma série, assim como eu, adora todas as novidades que econtra sobre o assunto, não é? Eu sou assim com Nárnia, com Harry Potter, com O Senhor dos Anéis e, é claro, com As Crônicas do Gelo e Fogo.

Hoje, estava dando uma olhada no blog As Crônicas do Gelo e Fogo e vi a dica de um site com imagens da série. Adorei e indico. Para ver, clique aqui!!!

A imagem que mais gostei foi essa ai embaixo. Se você leu minha resenha sobre Guerra dos Tronos sabe que o meu personagem preferido foi o Khal Drogo, apesar de ser um dos personagens secundários que sequer teve seu ponto de vista, mas eu gostei muito dele!!!

Agora ele cavalga com as estrelas!!



Para os fãs, mais uma opção!!! :o)

Beijos,
Fefa Rodrigues

Selinho

Recebi um selinho hoje por indicação da Gabi, do blog Abrindo os Livros que eu visito diáriamente e que está ali do lado, na lista de blogs que eu indico.

Gabi, muito obrigada pela indicação!!!:o*




Beijos a todos e muito obrigada a todo mundo que me visita todos os dias e me dão a honra de ler o que eu escrevo, pode até parecer bobeira, mas é gratificante!!!

Fefa Rodrigues

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Os Vingadores

Ontem, aproveitei o finalzinho do feriadão para ir ao cinema e ver Os Vingadores. Eu não entendo nada de gibis e suas histórias, e sei que aqueles que amam a arte sempre criticam as adaptações cinematográficas, mas como eu adoro desde os filmes mais cult até os blockbusters, os filmes de heróis sempre me agradam, e este eu achei muuuuuuito bom!!



E porque eu gostei tanto do filme? Bem, primeiro ele reúne os melhores heróis. Meu preferido é o Homem de Ferro, adoro o sarcasmo dele. Também gostei bastante do Capitão América desde que vi o filme, e o Thor, bem... o Thor é a personificação do Derfel, não? Então como não amá-lo?

Além disso, a história do filme é simples. Não tem muita embromação, não há a necessidade de nos minutos finais o vilão explicar, antes de acabar com o mundo, a razão de suas vilanias!! Com isso, sobra tempo pra gente curtir os efeitos especiais e o Chris Evans, por exemplo.

O filme também tem muita ação e nenhum romance, o que eu achei ótimo e, por fim, gostei do fato deles todos não terem ficado super amiguinhos desde o começo, afinal, juntar um bilionário genial e excêntrico, um militar dos anos 50, um monstro verde nervosíssimo, um sem-deus e dois assassinos profissionais não dava pra dar liga imediatamente, não é?

Outro destaque é pro bom-humor, dei muitas risadsa, viu!!!Único defeito: para mim faltou um pouco mais de rock na trilha sonora!!

Ah!! E teve uma cena que eu gostei a princípio, mas que depois pensei que deveria ter sido um pouco diferente. Foi quando o Loki está lá na Alemanha e ordena que as pessoas se ajoelhem à sua frente, um homem bem velhinho se levanta e diz que não se ajoelha para homens como ele... “sempre vão existir homens como você”, diz ele. Isso vindo de um velhinho alemão tem muito a dizer, não é? Bem, só acho que, no contexto, quem deveria salvá-lo do raio mortal do Loki era o Thor, e não o Capitão América... se é que vocês me entendem!

Em resumo: AMEI!!

Vale a pena assitir!!!!

Beijos,
Fefa Rodrigues

PS: falta pouquinho pra terminar A Menina que Roubava Livros. Um livro tocante!! E a próxima leitura será O Cemitério de Praga!!!