sábado, 22 de junho de 2013

Chega de clichês, chega de modinha




Quem me conhece sabe, e eu não vou negar, que sempre fui PTista, isso pela influência dos melhores professores que tive no colégio e na faculdade, e também por amigos que considero muito como o Professor Márcio, Caca, Djalma... mas, durante esse período de manifestações tenho sido completamente apolítica porque compreendo que o movimento é social e não político. 

Acontece que, a cada dia, vejo mais e mais absurdos serem propagados pelo face, e isso acontece porque, as pessoas querem participar do momento histórico, mas me parece que não querem conhecer a história e a política  e até o direito para terem condições de participarem de forma correta. É o chamado "sofativismo" ou ativismo do sofá, em que as pessoas acreditam que estão mudando o mundo sentados no sofá de suas casas ao compartilhar frases feitas. 

Hoje isso me estressou tanto que resolvi escrever alguns esclarecimentos e postei no face, então resolvi postar aqui também...ai vai:

"Gente, vamos pensar um pouco. Ter o direito de eleger nosso governo pelo voto foi uma conquista que ceifou vidas, que custou muita luta e muito sangue derramado. Hoje em dia um governador (presidente, governador de estado, prefeito) eleito por meio do voto que é a manifestação da vontade do povo só perde seu mandato se cometer crime de responsabilidade. O impeachment depende da votação do CONGRESSO NACIONAL. Bom, o Congresso Nacional é a união do Senado e da Assembléia Legislativa, deputados e senadores são os representantes do povo e dos estados da federação a quem cabe FAZER AS LEIS que serão obrigatoriamente respeitadas pelo EXECUTIVO (presidente, governador e prefeitos) e pelo JUDICIÁRIO. São eles que esgotam os cofres públicos porque tem centenas de assessores e privilégios, como casa, carro, motorista, passagens de avião, dinheiro para contratar assessores e o poder para fazer lobby e receber muuuuuuuuuuuito "incentivo" para aprovar leis de interesse de certos segmentos.
ENTÃO GENTE, VCS TÊM MESMO CERTEZA QUE PEDIR PRO CONGRESSO TIRAR DO PODER A PESSOA QUE FOI ELEITA PELO POVO VAI ACABAR COM A CORRUPÇÃO??? VCS SABEM QUE SE ISSO ACONTECER O JOAQUIM BARBOSA ASSUME APENAS ATÉ SER REALIZADA OUTRA ELEIÇÃO PORQUE AINDA NÃO PASSOU DA METADE DO MANDATO? VCS SABEM QUE COM ISSO O CONGRESSO SE FORTALECE? É O CONGRESSO, A MAIOR FONTE DE TODA CORRUPÇÃO DESSE PAIS.... ENTÃO VAMOS PENSAR BEM NO QUE ESTAMOS PEDINDO.... CHEGA DE CLICHÊ GENTE... CHEGA DE MODINHA E DE REPETIR O QUE OS OUTROS FALAM SEM CONSCIÊNCIA DO QUE SE ESTÁ FALANDO, SEM ANALISAR A QUEM INTERESSA O QUE SE ESTA PROPAGANDO... NÃO SEJAMOS USADOS PARA ATENDER INTERESSES ESCUSOS... SE O GIGANTE REALMENTE ACORDOU, QUE NÃO PERMANEÇA SONAMBULO, MAS QUE SE TORNE CONSCIENTE!!"

Para quem não sabe, eu sou advogada, assessora jurídica na Secretária de Fazenda, Finanças e Planejamento da Prefeitura Municipal de Tatuí e especialista em Gestão Pública Municipal e historiadora amadora, então, acredito que eu tenho certo conhecimento de causa para falar.

Abraços, e que o Brasil mude de verdade!!!
Fefa Rodrigues


terça-feira, 18 de junho de 2013

Os Confins do Mundo - Valério Massimo Manfredi


"O amor é a força de um deus, força contra a qual não se pode lutar."


Boa noite amigos, acabei de ler neste exato instante o terceiro e último livro da série Alexandros, romance histórico sobre a vida de Alexandre, O Grande. Neste último livro acompanhamos o conquistador macedônio em suas campanhas militares na Pérsia contra o Grande Rei, Dário III e todas as suas conquistas asiáticas até a sua morte.


"Tudo é possível agora, e ao mesmo tempo, tudo é absurdo."


Como comentei quando falei dos outros dois volumes, essa série peca em alguns pontos, principalmente pela falta de enredo. Não sei quanto a vocês, mas o que me fascina nos romances históricos é o toque de ficção que os autores usam como "cola" para unir os fatos históricos e torná-los algo muito mais palpável do que aquilo que a gente lê nos livros e apostilas de história. Nesta série, não há essa "cola", há alguns enxertos ficcionais, claro, mas nada que valha a pena. Dai a narração acaba um tanto sem graça e cansativa. 

Outro ponto que eu não gostei foi o fato de que, tendo em vista que a campanha durou cerca de 10 anos, Alexandre e seu exército lutou dezenas de batalhas, acredito que o autor não precisava ter descrito cada uma delas, mas podia ter escolhido algumas, e descrito de forma mais emocionante, no estilo Bernard Cornwell, mas não é isso que acontece, ao descrever todas as batalhas, ele acaba fazendo isso de forma simples demais, sem detalhes, sem vida, e parecendo tudo tão fácil, tão simples, como se conquistar o mundo fosse a coisa mais fácil a se fazer.

Outra coisa que eu senti muita falta seria de uma melhor descrição, uma maior atenção à "ambientação" da história, com mais detalhes e informações sobre o dia-a-dia dos anos de campanha, um pouco mais sobre os cerimoniais, espacialmente os religiosos, já que os gregos foram um povo cheio de deuses.


"Sempre é cruel aquele para quem ainda é novo o gosto do poder."


Talvez o livro agrade mais um leitor adolescente, eu já gostaria de mais profundidade, especialmente em se tratando de um personagem tão magnifico e que viveu tantas aventuras.

Mas não tenho só críticas, também tem pontos que eu gostei. Primeiro Alexandre é um personagem realmente maravilhoso, apesar de não ter sido dada aquela profundidade ao personagem, especialmente quanto ao seu caráter, ele é apaixonante e deve ter sido assim na vida real, senão não teria arratado aquele imenso exército por meio mundo. Seu grupo mais chegados, a chamada Turma de Alexandre também tem personagens fantásticos e, por fim, ´último capítulo é sensacional!!!


"A grandeza de um homem corresponde à dolorosa defasagem entre a meta que ele quer alcançar e as forças que a natureza lhe deu quando o botou no mundo."


Outro ponto positivo é a forma como o autor demonstrar a queda na aprovação de Alexandre pelo seu exército, depois de ter conquistado a Pérsia, em razão do rei passar a adotar os costumes bárbaros inaceitáveis para os gregos!!!

Enfim, não digo que você não deve ler a obra, só que não deve esperar muita coisa, não é uma obra-prima, apesar de que merecia mais!!!

Agora vou ler A Chave Rebeca do Kenn Folett, com certeza, leitura rápida!!!



beijos e boa leitura;
Fefa Rodrigues

sábado, 15 de junho de 2013

Não queremos ser o País do Futebol!!!



Foto do site Gazeta do Povo - para acessar a notícia clique aqui

Quantas vezes eu ouvi elogios aos argentinos e seus "panelaços" indignados, aos europeus e suas manifestações contrárias às medidas que desagradavam, aos americanos por sua consciência política e de direitos e aos manifestantes da primavera árabe por sua coragem de enfrentar um sistema opressor. Agora, as pessoas aqui começam a demonstrar sua insatisfação, seja com os 0,20 centavos, seja com os milhões que desejavam que tivessem sido aplicados em educação e saúde e não em futebol (para espanto dos governantes e do mundo) e, em vez de elogios, são tidos como vândalos, principalmente pela mídia retrógrada.

Nós queremos EDUCAÇÃO antes de qualquer coisa, e queremos SAÚDE com qualidade para todos, e JUSTIÇA especialmente contra políticos corruptos e só então contra criminosos comuns. É para isso que o Estado existe, é só por isso que existem governantes e governados, para que o bem comum seja alcançado. 


Sou totalmente adepta de Martir Luther King e de sua ideologia da não violência, mas estou feliz por ver que nosso povo não é formado por um bando de cordeirinhos que aceita tudo. E que o mundo - e o governo - saiba que nós já não queremos ser apenas o país do futebol!!!!!


Antígona - Sófocles




Hoje de manhã fui fazer uma prova na pós. Como não é na minha cidade, e como eu não sei dirigir, vou e volto de ônibus, o que não me incomoda nada, porque além de ser um trajeto de menos de 30 minutos, eu tiro um bom cochilo. O problema é que se acabo o que tenho que fazer muito cedo, tenho que ficar um tempão esperando o ônibus de volta. Hoje, por exemplo, a espera foi de 1:40h.

Como eu sempre levo um livro comigo, até essa espera é útil. Hoje, como está muito frio, resolvi ler na biblioteca, mas antes de pegar meu Alexandros, fui dar uma olhada nas prateleiras. Muitos livros técnicos, nada de literatura, mas entre um e outro encontrei alguns teatros gregos e, como eram bem fininhos, resolvi aproveitar para dar uma olhada, e assim é que eu tive meu primeiro contato com essa espécie literária!! A leitura ainda ficou mais interessante porque como estou lendo Alexandros sempre fazem menção a obras como essa.  

Como é uma peça, só tem fala, não tem descrição, o que torna a leitura ainda mais rápida. Nesse caso, a história de Antígona, uma jovem de Tebas que desafia Creonte, o rei tirano que impede que seu irmão morto seja sepultado e receba os rituais fúnebres e, por isso, é condenada a morte. A história é bem curtinha e não vou contar detalhes porque senão perde a graça e quero incentivar a leitura (são só 96 páginas nessa edição de bolso).

Apesar de ser algo curto, eu adorei!! Gostei muito dos diálogos, porque são sempre argumentativos, gostei da personagem Antígona e resolvi trazer o livreto para casa, para anotar algumas das frases que mais gostei, especialmente relacionadas à política que é meu meio ambiente natural!!

Enfim, foi assim que, graças a demora do busão, eu conheci o teatro grego e sinto que me apaixonei!!!

Gente, que frio... volto agora pra debaixo das cobertas, pra terminar a leitura de Alexandros e tentar postar a resenha até amanhã!!!

Beijos, beijos, beijos...
Fefa Rodrigues


quarta-feira, 12 de junho de 2013

No dia dos namorados, um pouco sobre meu romance!!!

Oi gente, ando tão sumida daqui, e a culpa é da somatória entre vida corrida no trabalho, nos estudos e na organização do casamento!! Pois é, vou me casar, dia 27 de setembro!! Tá chegando... e depois de 13 anos de namoro (isso mesmo, 13 anos, desde a época do colégio), os meses estão passando rápido demais!! 

Deixa eu contar como marcamos a data. Bem, desde o ano passado que o Davi e eu estávamos decididos que seria neste ano, então, em janeiro, fomos dar uma olhada em viagens pensando em escolher a Lua de Mel. Eu tinha dito que gostaria de ir para Arraial d'Ajuda, na Bahia e quando a agente disse que tinha um hotel ótimo com um preço bem legal, com saída no sábado, dia 28 de setembro, o Davi sacou o cartão de crédito e sentenciou: "o casamento será dia 27 de setembro, sexta-feira!!".

E foi assim que de repente (e para desespero da minha mãe, já que meu irmão casa dia 27 de julho, ou seja, exatamente dois meses antes de mim) começamos a correr atrás de flores, música, padrinhos, bolo, bem-casados, vestido, aliança, reforma da casa, ufa!!

Decidimos fazer algo simples, mas com a nossa cara, já que não queremos gastar rios de dinheiro, pois esse dinheiro será usado para realizarmos nossos sonhos de viagens, então eu mesma comecei a fazer algumas coisas. Já fiz os convites, ainda não estão finalizados porque falta chegar o papel rendado para o acabamento, mas ficou assim olha:



Também fiz cartõezinhos de agradecimento para entregar aos convidados que irão participar do jantar. Para dar personalidade fiz em formato de marcadores de página e em cada um dos 100 cartões eu coloquei um trecho de uma poesia diferente (quem sabe desperta o gosto pela leitura em alguns convidados, né?!?!). Olha só como ficou:





Confesso que apesar da correria está sendo bem legal preparar tudo, arrumar a casa para deixar do nosso jeito, e o melhor de tudo, lá eu terei uma biblioteca de verdade!!!! 

Ah!! E eu sei que não tenho lá muito talento para poesia, mas gosto de escrever quando sinto vontade, então ai vai um versinho que eu escrevi pensando no Davi!!



Falar de Amor

Quero falar de amor;
Escrever sobre o amor.
Desse nosso amor que eu conheço na prática,
Mas que não consigo transformar em teoria.

Quero tornar o toque da nossa pele;
O beijo da nossa boca;
E o som do nosso silêncio
Em poesia.

Para que transformado em palavras
Torne-se eterno
O que existe entre nós.

Beijos, feliz dia dos namorados
Fefa Rodrigues