sexta-feira, 21 de outubro de 2011

O Morro dos Ventos Uivantes – Emily Bronte

Esse livro tem o mérito de ser o único nesse mundo de Deus que eu simplesmente não consegui terminar de ler. Lembro que a primeira vez que ouvi falar dele foi no último capítulo de alguma novela, que eu nem lembro qual era, mesmo porque eu nem gosto de novelas então não sei porque cargas d’água eu assisti esse tal capítulo final. Na cena um professor que era meio doidão citou a obra durante sua aula, ele até recitou um trecho do livro. Gravei a cena e, muito, mas muito tempo depois, tive um colega de escola que era apaixonado por esse livro. Ele tinha uma verdadeira relação de amor com a obra, acho que mais ou menos como a que eu tenho com Cem Anos de Solidão!! 

Então, quando ele me disse que tinha esse livro e que a história era sensacional, marcante, que com certeza eu iria amar, a cena da novela me veio à mente, e decidi ler. Ele me trouxe o livro emprestado com todo o gosto, tecendo elogios sem fim à história e eu fiquei ainda mais interessada.

Comecei a ler e, no inicio, fiquei intrigada, tudo começa num clima de mistério e eu amo mistérios, mas página a página comecei a me incomodar com a história, comecei a detestar os personagens e a odiar cada um deles, especialmente a garota, Catherine!!

Até que de repente, eu simplesmente parei, não conseguia mais ler... tive que entregar o livro sem ter terminado... e a cara para falar pro menino que eu não tinha nem ao menos terminado o livro que ele mais amava na face da Terra? Não foi uma situação das mais fáceis... mas, pelo menos, ele não me xingou de estúpida como outros por ai!! NO entanto, deu para notar uma sombra de decepção nos olhos dele...

Com a consciência pesada por não ter terminado a história, o que me dava a impressão de que os personagens estavam lá, olhando para minha cara e clamando para que eu os conduzisse ao fim da história – dramática não? – decidi ver o filme e... não deu!! Nem o filme eu consegui ver até o fim.

De verdade, eu não sei o que aconteceu, o livro tem tudo para prender minha atenção, um ambiente sombrio cheio de mistérios, um casarão, uma relação tumultuosa, um amor interrompido, desejo de vingança, um romance acontecido no passado que deixou marcas, um relacionamento impossível entre pessoas de classes diferentes, decisões erradas, palavras que não deveriam ter sido ditas. Falando assim eu até pensaria que era algo escrito pelo Záfon!!

É bem possível que minha opinião gere a ira de alguns, e se outra pessoa me chamar de estúpida pode ter certeza de que não vou publicar o comentário, mas eu simplesmente não consegui e de verdade gostaria de ler/ouvir opiniões diferentes, outros pontos de vista, quem sabe minha mente se abre para a história.

Dá uma lida nesse trecho do livro e me diz se não é para ter certeza de que a história é magnífica?

“...por isso, ele nunca saberá como eu o amo; e não é por ele ser bonito, Nelly, mas por ser mais parecido comigo do que eu mesma. Seja qual for a matéria de que as nossas almas são feitas, a minha e a dele são iguais.”

Pensando bem, talvez eu deva tentar mais uma vez!! Quem sabe.... se me deparar com um exemplar dele por ai vou dar mais uma chance!!!


Abraços
Fefa Rodrigues

9 comentários:

Mirian Soares disse...

Hahahaha!!! Eu te entendo. Esse livro desperta esses sentimento na gente. Mas, olhe, eu AMO. Acho a história triste e acho que por isso que eu gostei. Adoro um drama... kkkk!!!
Bjokas

Fefa Rodrigues disse...

Entãoooo Mirian, eu AMO um drama... adoro mesmo... quanto mais dramatico mais eu gosto... dai eu não entender pq eu e esse livro não nos demos bem!!!

Por isso prtendo tentar mais uma vez!!

Nerito disse...

Eita, menina! Fazendo a gente ficar com vontade de ler até um livro que vc não gostou... hahaha...

Olha, pra ser sincero eu estou meio traumatizado com esse livro, sem mesmo o ter lido. É porque uma amiga me emprestou a coleção toda do Crepúsculo e eu não tive coragem de devolver sem ter lido. Mas o que isso tem a ver?

É que pelo menos nos três primeiros, a protagonista Bela não para de falar nesse livro, de ler, de comparar o personagem x com o Edward e tal... Puxa, era uma coisa tão chata que eu pensei: Será que essa autora só leu esse livro a vida inteira?

Enfim, quando o trauma passar, talvez eu pegue o livro pra ler.

Abraço!

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

HAHAHAHAHA! Mais uma que não gosta! Já te falei que não consegui nem chegar à página 100, isso porque eu gosto de personagens desajustados...Mas tudo tem, limite. Também resolvi ler depois que vi em crepúsculo, e em mais uma dúzia de lugares (The Vampire Diaries - a série de TV, que eu amo - novele, outros livros, etc), mesmo indo contra a opinião da minha mãe que não gostou nem um pouquinho também. É um dos poucos que me lembro dela falando mal a m inha vida toda...Por isso deve ter ficado na minha cabeça, porque lembra dela falando isso quando eu era bem pequena.
Não sei se consigo dar outra chance...

Beijos e bom fim de semana!



PS: vou assistir Os Três Mosqueteiros amanhã! Pena que não vai ser em sessão 3D...

Fefa Rodrigues disse...

Ah ja me falaram que a Bela fala centenas de vezes desse livro no Crepusulo.. e minha sobrinha comprou esse livro no fim de semana e ficou desanimada com meu comentário hueheuheuhe... fazer oq né!!!

Viu, vc acredita q eu não gosto de ver filems em 3D? Prefiro normal mesmo... pq em 3D eut enho q assistir de lentes e eu prefiro ver filmes de óculos hehehehe

Anônimo disse...

Olá!!
Que pena que não gostou. Gosto é assim mesmo, também tem o lance, de não estarmos preparados para uma leitura. O Morro... é um clássico e muitos escritores dessa época faz uma analise fundo dos personagens. Você veja como são as coisas é um drama, mas no começo quando o hóspede da granja vai visitar o proprietário. Onde os cachorros o atacam, ali achei hilário, como a vítima praguejava, ao mesmo tempo que discorria, cada morador daquela casa. Envoltos em mistérios e segredos. Mas, o livro é dramático, somente o inquilino quando descrevia o proprietário, seu mau humor, sua impaciência. Sei lá me acabei. Mas, ta certo é o momento de cada um, nem todos acham graça da mesma piada né. Quiz destacar isso, mas poderia mencionar mais coisas no livro que me fez ler, e achar a leitura leve até o final.
abç
Orquidea

Anônimo disse...

Se vc me permite, quero prolongar um pouco mais meu comentário. Amei seu espaço, sempre passarei por aqui.
Aconteceu comigo, eu detestar o livro que estou lendo no momento. "O Mundo Segundo Garp", não vou dizer que é pobre, vazio, porque a gente sempre tira alguma coisa. Tortura, acho que gosto de sofrer.rsrs Estou com ele 2 meses, arrastando, mas sou diferente de você vou até o fim.Quem abandona o livro, acho certo, mas também quem leva até o final ta certo também.
Obrigada
Orquidea

Fefa Rodrigues disse...

Orquídea... obrigada pela visita e pela opnião... eu gosto disso, de ver pontos diferentes sobre o mesmo assunto... e concordo que o ideal é a agente ler até o fim, fazer o esforço nacessário, pq sempre há algo para aprender... por isso pretendo dar uma segunda chance a obra pq realmente já ouvi comentários ótimos sobre o livro!!!

Mais uma vez, obrigada pela visita!!!

Anônimo disse...

Os personagens da obra realmente nos inspira sentimentos nada agradáveis. Ora, ficamos do lado de Cathy, ora sentimos com Heathcliff.

Eu o li devido a uma música (tão linda quanto o livro que o inspirou): Wuthering Heights, de Kate Bush. Que linda música, lindíssima, e o clipe da música também (Kate é Cathy como lenda viva). Procurava pela música desde que era criança, quando a ouvi e depois de uns 20 anos encontrei a música, e como já existia internet, vasculhei a vida de Kate Bush e fiquei sabendo que a música se devia ao livro e procurei ele na biblioteca. Livro muito bom!

Enfim, amei o livro. Ódio e amor se alternam nos personagens e tem um poder de nos fazer sentir com os personagens a violência dos sentimentos.

Mas gosto é gosto, cada um tem o seu.

Luiz - Camboriú
luancamboriubeach@yahoo.com.br