quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Meia noite em Paris

Fim de semana prolongado por causa do feriado... começou com sol, mas no domingo de noite a chuva chegou, então, nada melhor que curtir as tardes de chuva vendo um filminho legal e graças a Taís, que não só indicou o filme como gravou no meu pen drive, Meia noite em Paris agora divide meu desktop com Simplesmente Amor, para que eu possa assistir várias e várias vezes. E eu simplesmente me apaixonei pelo filme!!

Só por essa Capa o filme já valeria a pena!!!
Primeiro, me identifiquei com o personagem principal, o Gil. Tal como ele, vivo pensando que eu seria mais feliz se tivesse vivido nos anos 20 ou, talvez, nos anos 50. Outra coisa em comum é que ele está escrevendo um livro, mas tem certa dificuldade em deixar que as pessoas o leiam. Eu também adoro escrever, mas não consigo dar minhas histórias para outras pessoas lerem – escrever aqui no blog e saber que tantas pessoas lêem já é um desafio.

Além disso, sou louca por literatura como o Gil e para finalizar, o filme se passa em Paris e é recheada com a presença de grandes escritores, pintores e cineastas. Eu simplesmente amo quando os filmes ou livros juntam esses personagens reais!! (Só para lembrar, três dicas de livros que juntam personagens históricos O Homem que Matou Getúlio Vargas, O Xangô de Baker Street e Assassinato na Academia Brasileira de Letras).

Vou fazer uma breve sinopse do filme!!



A história gira em torno de Gil, um escritor de scripts para Hollywood, noivo de Inez, uma mulher linda, rica e mimada. O casal está em Paris a convite dos pais de Inez que vão à cidade para fechar um grande negócio. Imediatamente a gente percebe que os dois não foram feitos um para o outro. Gil é um sonhador, ele gosta da andar pela cidade, de preferência na chuva, e seu sonho é vender sua casa em Malibu, se mudar para Paris e escrever um livro de verdade! Ele é apaixonado por Paris, pelos anos 20 e pelos grandes escritores.

Uma noite, após uma degustação de vinhos, Gil decide voltar para o hotel caminhando enquanto Inez segue para uma balada junto com um casal de amigos – insuportáveis, diga-se!! Perdido e um tanto bêbado, Gil senta-se em uma escadaria e após ouvir os sinos da cidade tocando a meia-noite, um carro típico dos anos 20, como aqueles que a gente vê em filmes de gangster, para em sua frente e as pessoas que estão dentro o convidam para uma festa.

É claro que essa aí não é a Inez!!!

Gil então chega a uma festa onde todos estão vestidos à moda dos anos 20, ao piano Cole Porter toca enquanto o excêntrico e desvairado casal Zelda e Scott Fitzgerald se apresentam ao escritor. A principio ele até percebe essas “coincidências”, mas quando ele chega a uma bar e conhece Ernest Hemingway ele se dá conta de que algo estranho está acontecendo.

A partir daí, todas as a noite, Gil volta àquela escadaria ouve os sinos anunciarem a meia-noite e aguarda até que o carro antigo passe e o leve de volta aos anos 20, onde ele vai conviver com Gertrude Stein, Picasso, Dali...

Sem contar as belas imagens da cidade que deve ser a mais linda do mundo!!!

Minha irmã Frany sempre reclama dizendo que eu conto o final dos filmes, então, para evitar essa deselegância vou encerrar por aqui meus comentários, mas incentivando a todos que ainda não viram, que assistam esse filme!!! Muito bom mesmo!!

Beijos e boa semana que já começou no meio!!!
Fefa Rodrigues

2 comentários:

Nerito disse...

Vou aproveitar e seguir sua dica, Fefa.

Esse filme está flertando comigo há muito tempo. E como eu tenho motivos similares aos seus (adorar literatura e ter vontade de viver em outra época), sinto quase que obrigação de assisti-lo.

Agora, um outro comentário... Estou tendo problemas com "A Sombra do Vento". Depois que eu terminar o livro te explico melhor. Abraços!

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Fefa!

Parece bom mesmo. Como você e o Nerito, eu também imagino como seria viver em oiutra época...Mas eu provavelmente queimaria na estaca, porque queria viver na Idade Média;D

Beijos!