domingo, 15 de maio de 2011

Por Aslam, por Nárnia!!

O Léo, meu sobrinho de seis anos, me perguntou o que acontece depois que a gente morre, daí eu expliquei  pra ele que é como se fossemos para férias que nunca mais acabam, e ele me perguntou como eu sabia disso, então eu contei que foi Aslam quem disse e que Ele realmente entende dessas coisas...

O Grande Aslam

“... Seu pai, sua mãe e todos vocês estão mortos, como se costuma dizer nas Terras Sombrias. Acabaram-se as aulas: chegaram as férias! Acabou-se o sonho: rompeu a manhã!
E, à medida que Ele falava, já não lhes parecia mais um leão. E as coisas que começaram a acontecer a partir daquele momento eram tão lindas e grandiosas que não consigo descrevê-las. Para nós, este é o fim de todas as histórias, e podemos dizer com absoluta certeza, que todos viveram felizes para sempre. Para eles, porém, este foi apenas o começo da verdadeira história. Toda a vida deles neste mundo e todas as suas aventuras em Nárnia haviam sido apenas a capa e a primeira página do livro. Agora, finalmente, estava começando o Capítulo Um da Grande História que ninguém na Terra jamais leu: a história que continua eternamente e na qual cada capítulo é muito melhor do que o anterior.”

(Trecho final – A última Batalha, As Crônicas de Nárnia)

7 comentários:

Jarod disse...

Por Aslam, por Nárnia!!

Tais Oliveira disse...

Ai Fe..eu adoro As Crônicas de Nárnia!!

Volto a ser criança quando assisto..amo,amo,amo...e já assisti aos filmes umas 10 vezes..haha

Bju!

Tais Oliveira disse...

Oi Fe eu adoro As Crônicas de Nárnia.

Volto a ser criança quando assisto.Amo,amo,amo...e já assisti aos filmes acho que umas 10 vezes,rs.

Bjus!

Nerito disse...

A obra de Nárnia tem uma influência direta em tudo o que eu já escrevi, escrevo e escreverei. É uma influência sutil, eu sei, mas impossível de eliminar.

Nárnia foi meu jardim secreto nos anos mais sombrios da minha vida. Fui Chasta cavalgando na noite e depois na neblina. Fui Edmundo vagando num bosque gelado. Fui Eustáquio, perdido nas imensidões do Norte, quase esquecido das Palavras que davam sentido à sua existência.

Caminhei muitas vezes pelos bosques frescos de Nárnia e passei pela cidade turbulenta dos Calormanos. Conversei com as estrelas e testemunhei o amor entre uma estrela e um rei.

As maravilhas mais incríveis da minha imaginação foram enriquecidas por C.S.Lewis muito antes dos filmes serem sequer pensados. E hoje ainda sou grato por ter conhecido o mundo de Nárnia.

Anônimo disse...

Muito belo post, e interessante as obras. Aos poucos fui me interessando, vendo os filmes e , agora ao menos por crônicas de nárnia(o sentido real) posso dizer que são admiráveis.

Jane disse...

Por acaso encontrei teu blog. Gostei muito! Também sou fã da leitura. Estou lendo "Amor" de Isabel Allende. Li "O tempo entre costuras" de María Dueñas.Muito bom.Recomendo!

Fefa Rodrigues disse...

Que bom que vc gostou, volte sempre, adoro compartilhar leituras com os colegas de blog!!!