sexta-feira, 30 de setembro de 2011

O Cavalo e Seu Menino – As Crônicas de Nárnia

Essa é a terceira crônica. Foi a quinta a ser publicada, mas cronologicamente ela é a terceira, por isso, quando a gente compra a edição que junta todas as crônicas em um único livro, ela fica em terceiro, depois de O Leão, a Feiticeira e o Guarda-roupa.

Esta é minha crônica preferida apesar de não ter os reis-irmãos como personagens centrais da trama. Nem sei se vão fazer um filme dessa crônica porque ela é meio que um desvio na seqüência das crônicas e da história dos quatro reis, uma vírgula ou uma pausa para se contar algo que está acontecendo além das fronteiras de Nárnia, com outros personagens, em outros lugares que não a corte do Rei Pedro, o Grande!

De começo já gostei do nome, parece que ele brinca na boca da gente... o cavalo e seu menino... não, não seria o menino e seu cavalo?... parece uma charada... bobeira minha, mas o nome ficava na minha cabeça, se repetindo!

Eu li as Crônicas todas de uma vez e na seqüência e valeu a pena, acho que para quem vai ler pela primeira vez, esse é o melhor jeito, mesmo porque depois, a gente pode reler as preferidas, ou ler tudo de novo esparsamente... mas lendo tudo de uma vez a gente segue a sequencia cronologica dos acontecimentos e não fica perdido entre os tempos...

Como eu falei ali em cima, nessa Crônica os reis Pedro, Suzana, Edmundo e Lucia são personagens secundários ou até “terciários” - nem sei se essa palavra existe risos. Os personagens principais da história são outras duas crianças, Shasta, um menino que vive no Reino da Calormânia, criado porum homem de nome Arriche, como se fosse seu filho, mas sendo tratado de forma rude e maldosa por seu suposto pai e que vê sua vida mudar quando conhece Bri e Huin, cavalos falantes de Nárnia e, como o próprio nome da crônica já demonstra, esses vão ter um papel importante na história. Sua companheira é Aravis, uma garota rica e esnobe, mas que vai demonstrar ser uma boa pessoa.

Bri e Huin querem voltar para Nárnia e as crianças, por seus próprios motivos, vão fugir com eles, passando por muitas aventuras e perigos. A crônica também nos apresenta ao Reino de Arquelândia e tem guerra para ser contada!

Eu gostei muito dessa crônica, ela não tem muito da mágia das demais, mas é minha preferida, e de verdade, não sei dizer a razão, já que eu amo mágia e até reclamei que senti falta dela em Guerra dos Tronos, mas meus colegas que já estão nos outros volumes me acalmaram, dizendo que a fantasia e a mágia vão aparecer!!!

Concluindo, todas as crônicas são ótimas e considero uma leitura essencial para todo amante de livros... já vi por ai algumas pessoas dizendo que tem medo de ler o livro e se decepcionar... acho difícil isso acontecer... mas ao ler Nárnia tem que se ter em mente que este é um livro escrito para crianças, por isso não adianta esperar uma batalha sangrenta como as de Bernard Cornwell... a beleza dessa obra está em outros detalhes... e mesmo sendo escrita para crianças é uma das obras mais perfeitas que eu conheço... tanto que faz parte da minha categoria O Preferido!!!

É isso!!!

Beijos e boa leitura!!!
Fefa Rodrigues

8 comentários:

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Fefa!

Nárnia é mesmo muito bom! Mas minhas preferidas são as que tem o Caspian (Príncipe cAspian em primeiro e A viagem do Peregrino da Alvorada depois). O nome desta é mesmo uma graça! Só acho que , mesmo sendo para crianças, CS Lewis poderia ter desenvolvido os personagens melhor.

Beijos e bom fiom de semana!

Fefa Rodrigues disse...

Essa foi a mesa observação do Davi, meu boyfriend, sobre Nárnia... como Senhor dos Anéis foi nossa "primeira leitura de fantasia", ele meio que esperava de Nárnia o mesmo... mas a Teerra Média é muito mais complexa...

:o)

Tais Oliveira disse...

Fê eu adoro Nárnia..acho mágico!Sempre que leio/assisto ao filme volto a ser criança..rs

Bjus

Nerito disse...

Oi Fefa, eu li bastante As Crônicas de Nárnia e nunca senti necessidade de que os personagens fossem desenvolvidos. Acho que eles são tão cativantes que as pessoas querem passar mais tempo com eles, talvez por isso sempre dizerem sobre essa "necessidade".
Quando li Nárnia, foi por uma outra edição, não havia volume único e a tradução alterou alguns nomes. Shasta virou Chasta e Arquelândia (Archerland) era País dos Arqueiros ou Terra dos Arqueiros.
O Cavalo e seu menino foi um dos mais emocionantes livros que já li. A conversa que Aslan tem com Shasta no meio do nevoeiro até hoje me arranca arrepios e deixa meus olhos úmidos. Sem falar a conversa que ele tem com Aravis sobre as chicotadas de uma certa criada.
Enfim, não dá pra falar de Nárnia em apenas um comentário!

Abraços

Fefa Rodrigues disse...

Oi Nerito!!

Assim que li essa frase do Tyrion no livro, parei de ler e vim colocá-la no blog, achei muito boa mesmo... alias, de todos o Tyryon é meu preferido... como todo comentário que eu leio diz que hora a gente ama hora a gente odeia os mesmos personagens, pode ser que eu me decepcione com ele em a Fúrua dos Reis, mas de qq forma, o que mais me atrai nele é sua inteligencia e a forma como ele encara suas limitações, sem ter pena de si mesmo!!!

E sobre Nárnia, concordo com vc que ´livro é muito para se falar em pequenos comentários e as falas de Aslam sempre me emocionam e enchem meus olhos de lágrimas...

Em especial o que ele diz pra Lucia no fim de O Peregrino da Alvorada me arrepia só de lembrar!!!

Perfeito e emocionante!!

Ah... estou amando sua Cidade Suspensa, viu!!!

Abraços
Fefa

Fefa Rodrigues disse...

Assim que li essa frase do Tyrion no livro, parei de ler e vim colocá-la no blog, achei muito boa mesmo... alias, de todos o Tyryon é meu preferido... como todo comentário que eu leio diz que hora a gente ama hora a gente odeia os mesmos personagens, pode ser que eu me decepcione com ele em a Fúrua dos Reis, mas de qq forma, o que mais me atrai nele é sua inteligencia e a forma como ele encara suas limitações, sem ter pena de si mesmo!!!

E sobre Nárnia, concordo com vc que ´livro é muito para se falar em pequenos comentários e as falas de Aslam sempre me emocionam e enchem meus olhos de lágrimas...

Em especial o que ele diz pra Lucia no fim de O Peregrino da Alvorada me arrepia só de lembrar!!!

Perfeito e emocionante!!

Ah... estou amando sua Cidade Suspensa, viu!!!

Abraços
Fefa

Aline disse...

Fê estou lendo o cavalo e o seu menino, e eu gosto tanto de Narnia q as vezes eu volto nas outras histórias, o bosque entre dois lagos, espio oq está acontecendo no guarda roupas, é um barato hehehe, e junto desses tenho lido o Thomaz é claro né O Herege, parece aqles dias de festa de fim de ano q fazemos TODOS os pratos q gostamos e comemos tudo de uma vez só e misturado hehehe é muito bom!!! Sempre dou uma espiada aki no seu bog tb, excelente! bjo

Fefa Rodrigues disse...

Alininha... amo qd vc vem me visitar - tanto no blog quanto na sala hhehehehehe....

E realmente, amei sua "alegoria" sobre as leituras e os pratos no natal... é bem isso mesmo... estou lendo ao mesmo tempo Furia dos reis, A constituição na História dos POvos e a História da HUmanidade... e parece um baquete!!!!

:o*

Fefa