quinta-feira, 22 de março de 2012

Os 85 anos de Gabo

Dia 06 de março, Gabriel Garcia Marques, o Gabo, prêmio nobel de literatura em 1982 pelo livro Cem Anos de Solidão e meu escritor favorito, completou 85 anos de vida. 

Muitos são os dons dos homens, mas para mim, o dom de escrever é o mais intrigante. Me fascina a forma como os escritores criam mundos, histórias e personagens que, para o amante dos livros, são tão reais quanto seus amigos mais próximos. Assim é comigo. Sempre que vejo minha mãe, correndo de um lado para o outro para preparar os lanches que ela vende em sua cantina de colégio, penso em Ursula e seus pirulitos de caramelo, juntando dinheiro para contruir seu casarão em Macondo. 

Quando vejo pessoas que levam suas doutrinas tão a sério, a ponto de interferir em sua felicidade, me lembro de Fernanda, quando vejo amores que desvanecem rapidamente, me lembro do amor de Florentino Ariza por Fermina Daza, quando penso como a vida pode ser absurda, me lembro de Santiago Nassar, quando penso nas barreiras que podem e devem ser rompidas, me lembro de Sierva Maria, e sempre que sinto o perfume de flor de laranjeira, penso em Gabriel Garcia Marques.

Pra mim, Ursula, Fernanda, Maurícido da Babilonia, Rebeca, José Arcádio, Sierva Maria não são apenas frutos da imaginação de Gabo, são pessoas que eu conheço, com quem eu convivi por diversas vezes, e de quem me lembro de quando em quando.


Já postei aqui uma fala do Ricardo Gondim em seu texto Um caso de Amor publicado na edição de junho/2011 da revista Ultimato e vou repetí-la (a palavra ficou escrita errada desde cedo e ninguém me corrigiu!!!! que vergonha gente!!), pois concordo totalmente:

“Mundos fantásticos, como o de Gabriel Garcia Márquez são criados para que possamos sonhar para além da realidade nua e crua. Essa capacidade de sonhar, tão comum entre os profetas, nos leva à inconformidade com o mundo do jeito que é. (...) Quem viu outra realidade, mesmo em sonho, passa a desejá-la.”
 
Por isso, neste aniversário de Gabo, agradeço a ele por ter usado seu dom e ter criado algumas das melhores histórias que eu li. E, para quem ainda não leu nada da Gabo, a minha dica é: leia!!

Abraços, 
Fefa Rodrigues


6 comentários:

Dora Delano disse...

Meu escritor favorito também...

CMachado disse...

Olá Fefa!
Li apenas 2 livro do Gabo.
desejo muito ler Cem anos de solidão, mas, estou querendo muito antes ler sugerido por vc Memórias de minhas..
Bjk

PS:Ainda estou me recuperando de uma gripe forte, to completamente aniquilada rs

Fefa Rodrigues disse...

Orquidea: viu só, nem bem o outuno chegou e o pessoal já está pegando gripe... depois querem que que goste de frio!!!:o/


hehehehe... Cem Ano é o melhor, muito bom mesmo!! Quais dele vc já leu? Crônica de uma Morte Anunciada já leu né?

Amor nos Tempos do Còlera tbm é demais.... e eu gosto muito de DO AMor e outros demonios.... leia se tiver oportunidade.... e melhoras!!!

:o)


DORA: ele é perfeito!!!

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Fefa!

Sabe que eu nunca li nada dele? Mas pretendo mudar isso. Pra não dizer que nunca li nada, eu li um conto, que gostei bastante, pra faculdade.

Beijos!

mundo da lua disse...

Cem Anos de Solidão o livro mais intrigante que já li.

Ser escritor é ser o deus de um pequeno mundo.

Fefa Rodrigues disse...

"É ser o deus de um pequeno mundo" .... concordo!!!!



FEEEE super sumida pq trabalha demais!!!!!!!!!!!!