quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Um pouquinho de Maceió


"Ai, ai que saudades, ai que dó,
Viver longe de Maceió"












































 











































Escondendo Edith – Kathy Kacer



Olá a todos!!

Eu estava no meio da leitura de Eternidade por um Fio, último volume da trilogia O Século do Kenn Follett, mas, como não terminei a leitura antes de viajar de férias e como é um livro grande e pesado, resolvi levar outro e optei por Escondendo Edith, livro que ganhei de presente de uma amiga no meu aniversário. Com apenas 152 páginas, levinho e fácil de carregar, e por tratar de um assunto que eu amo – Segunda Guerra – decidi que seria a opção perfeita!!!

Como eu disse, o livro é curto, então vou fazer um pequeno resumo da história que, particularmente, não considero spoilers, já que todo mundo sabe o que aconteceu naquela época, né?!

O livro conta a história real de Edith Schwalb, uma garota judia que vivia em Viena até a chegada dos nazistas. Quando seus pais percebem o perigo que estão correndo, decidem deixar Viena no meio da noite e partem para a Bélgica, a pé. 

É um caminho longo e cansativo para uma família com três crianças, mas, depois de deixar quase todo o dinheiro e joias da família para trás, eles conseguem chegar sãos e salvos até a Bélgica.

Apesar de viver com menos conforto do que em Viena, Edith sente que sua família está segura ali, mas essa segurança não dura muito tempo. Não demora para que os nazistas cheguem e, mais uma vez, a família tem que fugir, dessa vez para o sul da França.

Apenas pouco tempo depois de chegar à frança, a família tem que se dividir. Após uma batida policial, o pai de Edith é levado e sua mãe percebe que precisa tomar uma atitude drástica se quiser proteger sua família.

Enquanto a mãe e a irmã mais velha, Therese, se escondem em uma fazenda, Edith e seu irmão caçula, Gaston, são mandados para uma escola na cidade de Moissac. A escola é dirigida por um casal de judeus, Shatta e Bouli e sua finalidade é proteger crianças judias. 

O mais interessante é que casal conta com a ajuda de todos os moradores da cidade e até do prefeito. A cidade guarda seu segredo e avisa os dirigentes da escola sempre que uma patrulha nazista se aproxima.

Quando isso acontece, as crianças, que são treinadas como escoteiros diariamente, se escondem na floresta e acampam até que seja seguro retornar.

Na casa de Mossaic, apesar de toda a dor e sofrimento daquelas crianças, elas encontraram uma família. Um lugar onde são bem cuidadas e alimentadas, onde podiam continuar estudando e sonhando com uma vida depois da guerra.

Cerca de um ano antes do fim da guerra, todas as crianças da casa tiveram que ser levadas para outros lugares porque já não era seguro continuar ali, nem para os judeus, nem para aqueles que guardavam seu segredo. 

Shatta e Bouli arranjaram esconderijos para todos e Edith teve que passar alguns meses vivendo com uma identidade falsa em um colégio interno suja e faminta.

Quando os bombardeios dos aliados começaram, Edith foi levada para uma fazenda, onde foi tratada e cuidada como se fosse uma filha e onde permaneceu até o fim da guerra.

Todas as crianças acolhidas pela casa de Moissac sobreviveram à guerra graças a coragem e à bondade do povo daquela cidade que não teve medo de correr tanto risco para simplesmente fazer o que era certo e graças a dedicação de Shatta, Bouli e de toda sua equipe de tutores.

Indico o livro, especialmente para jovens e adolescentes que estão se iniciando no assunto, já que é de fácil leitura, não contém violência e narra as experiências de uma criança se escondendo do nazismo.

Beijos e boa leitura!!
Fefa Rodrigues


PS: Eu não entendo uma coisa, uma pessoa me manda uma mensagem anônima na postagem anterior, onde eu disse que andava meio sumida, dizendo que eu deveria "sumir de vez"... se a pessoa não gosta do blog, não gosta do que eu escrevo, não gosta das minhas opiniões, então porque se dá ao trabalho de entrar aqui e ler os textos??? Deve ser alguém com muito tempo livre, não é? Porque eu mal tenho tempo de entrar nos blogs que eu gosto... imagina que vou me dar o trabalho de entrar naqueles que eu não gosto...