sexta-feira, 9 de março de 2018

A Casa Assombrada, John Boyne






Olá pessoal, 

Seguindo orientação de uma aula sobre escrita que vi no youtube e que dizia que a primeira regra para escrevermos bem um estilo é lermos todos os livros que pudermos naquele estilo e, já que eu tenho tentado escrever alguns contos de terror, comprei alguns livros no estilo e, dentre eles, A casa Assombrada de John Boyne

Apesar de ser um escritor de renome, este foi meu primeiro contato com um livro dele.

A história tem tudo que alguém que curte contos de terror gosta. 

Eliza Caine é uma jovem londrina que perde o pai e que, para fugir da solidão, aceita o cargo de preceptora de duas crianças numa casa antiga, no meio do nada no interior da Inglaterra do século 19. Ingredientes que provocam em mim uma imediata curiosidade (apesar de ter ouvido de alguns leitores que isso é um grande clichê, eu adoro!).

Quando a Eliza Caine chega à propriedade, não encontra qualquer adulto esperando por ela, não há outros criados por perto e na mansão estão apenas a pequena Isabella, uma manina linda e inteligente, mas bem estranha e seu irmão de 8 anos, Eustace. 

Toda a situação é ao mesmo tempo assustadora e constrangedora, Eliza não sabe quem é que mantém a casa limpa ou que cozinha para eles, não sabe onde estão os pais das crianças e não sabe quem é a pessoa que a contratou e não consegue tirar informações das crianças para quem tudo aquilo parece normal.

Não demora para que a preceptora comece a ser importunada por fantasmas e seres demoníacos que parecem querer afastá-la das crianças a qualquer custo enquanto ela continua decidida a descobrir quais são os segredos daquela família e a proteger as crianças do mal que habita o lugar!!  

É uma boa história. Não é excelente, mas vale a pena para os amantes do gênero!!

Este livro lembra bastante “A menina que não sabia ler” e também me fez pensar no filme “A Colina Escarlate”. Acho que daria um bom filme nas mãos do Fernando del Toro ou do Tim Burton!!!

Beijos
Fefa Rodrigues




Nenhum comentário: