terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Escrito com Sangue - Capítulo II: "Há apenas engano no coração dos homens"




Capítulo II 
"Há apenas engano no coração dos homens"
Pouco mais de um mês depois daquela noite eles já estavam morando juntos. Passaram aquela primeira semana deitados na cama, levantando-se só para pegar a comida que pediam fora, como jovens em uma lua-de-mel despreocupada. Lucas quase não atendia às ligações de sua secretária e quando o fazia era apenas para desmarcar as consultas do dia. Ficaram naquela letargia até que Carina disse que precisava ver “gente diferente” e os dois retomaram suas rotinas.
Lucas passou aquele primeiro dia de volta à vida normal em sua clínica atendendo às suas pacientes e sequer se lembrou de Carina. Saiu tarde, bem depois das oito da noite, já que havia tantas consultas remarcadas, e só percebeu onde estava quando estacionou o carro em frente a sua antiga casa.
Sentiu um forte impulso de entrar, ainda tinha as chaves e chegou a pegá-las nas mãos. Foi até a janela e pôde ver Laura sentada à mesa de jantar com seus filhos. Ela sorria animada enquanto ouvia com atenção algo que o filho contava, mas as olheiras escuras sob seus olhos diziam que ela não dormia há algum tempo.
Ela estava sendo forte pelos filhos e Lucas desejou de todo coração entrar naquela casa, carregar sua princesinha no colo, ouvir como fôra o dia do seu filho e, depois de colocá-los na cama, passar horas conversando com Laura até os dois caírem no sono, como haviam feito por tanto tempo.
Mas havia algo mais forte do que ele que o impedia de fazer aquilo que ele sabia ser o certo, algo que o dominava e que não permitiu que ele entrasse e com o coração angustiado e lágrimas nos olhos ele se afastou deicando para trás toda aquela vida.
Assim que entrou pela porta foi surpreendido por Carina que pulou em sua direção esmurrando seu peito e arranhando seu rosto enquanto gritava totalmente fora de si. “Onde você estava? Foi atrás daquela vaca da Laura, não foi? Está sentindo falto daqueles seus pirralhos?”. Lucas agarrou seus pulsos com força até fazê-la parar, puxou-a para junto de si e a beijou com paixão e raiva. Então, a tomou ali mesmo, odiando-se por não entender a razão de não conseguir resistir à atração e ao domínio que aquela mulher exercia sobre ele.
                                              (...)

Para ler o Capítulo I - "Letras de Sangue" clique aqui.


Um comentário:

Davi disse...

Faz tempo que não leio seu blog. Fico feliz que ainda poste, rsrs. Me lembrei dos tempos de colégio. :-)