segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Toda Luz que Não Podemos Ver – Anthony Doerr

Meu Deus, há quanto tempo eu não escrevo!!! Passei esse tempo todo sem escrever, mas li livros muito bons nesse período e Toda Luz que Não Podemos Ver sem dúvidas foi um dos melhores.

Presente de amigo secreto que ganhei no natal de 2016, este livro fazia parte da minha lista de sugestões para me presentearem, mas apesar de não estar entre os primeiros da lista, assim que comecei a ler não consegui parar.

O livro me encantou desde a primeira página.



Este é um livro que tem a segunda guerra como pano de fundo, mas que é diferente de tudo que já tinha lido antes, é quase uma poesia.

A história se desenvolve em dois extremos, de um lado, um menino alemão brilhante, que vive com sua irmã em um orfanato de uma cidade industrial. Autodidata, aprende sozinho todas os segredos da radiodifusão. Seu talento logo chama atenção e ele acaba sendo recrutado pelos nazistas.

Do outro ladro uma menina francesa que após passar a infância andando pelos corredores do Louvre, perde a visão, mas aprende a ver o mundo graças a ajuda de seu pai, que é funcionário do museu e que após a invasão da França pelos alemães, se torna o guardião de um tesouro de valor inestimável.

Warner, o menino alemão, e Marie-Laure, a menina francesa, estão em lados opostos e parecem ter nada em comum mas seus destinos estão entrelaçados e sem saber eles caminham em direção um do outro.

Apesar de num primeiro momento parecer que esta receita só valerá um velho clichê, a história não se parece em nada com tudo que eu li até hoje – e olha que eu já li muita coisa sobre segunda guerra.

Além dos protagonistas, os demais personagens que fazem parte da história valem por si só.

Enfim, na minha opinião, é um livro lindo e agora figura entre os melhores que eu já li.

Fefa Rodrigues

Nenhum comentário: