segunda-feira, 19 de maio de 2014

O DUELO - Churchill x Hitler - John Lukacs


“Não tenho nada a oferecer senão trabalho, sangue, suor e lágrimas”


“A Inglaterra Resiste”. E porque a Inglaterra resistiu, Hitler não conseguiu alcançar seu objetivo que, diferente do que estamos acostumados a pensar, não era dominar o mundo, mas ser senhor da Europa e tornar a Alemanha a maior potência mundial.

Já comentei aqui em várias oportunidades que sempre tento me lembrar de que as pessoas naquela época não tinham como conhecer a dimensão do que era o nazismo, e, por isso, muita gente boa olhou para a dominação alemã com simpatia, pois viam naquele novo modelo uma opção ao velho modo de governo democrata-parlamentar-capitalista corrupto e retrogrado.

Nesse livro, o autor nos fala dos 80 dias entre a nomeação de Churchill como primeiro-ministro da Inglaterra e o início dos ataques aéreos ao país em represália a sua insistência em não aceitar a paz oferecida pela Alemanha.


“Lutaremos nas praias, nas áreas de desembarque, nos campos, nas ruas e nas colinas; jamais nos renderemos e mesmo na suposição, na qual nem por um instante creio, de que esta ilha, ou grande parte dela, fosse subjugada ou passasse fome, nosso Império de ultramar, armado e guardado pela Frota Britânica, se encarregaria da luta até que a seu tempo, o novo mundo, com todo o seu poder, se apresentasse para socorrer e libertar o velho.”


Por todo esse tempo, apesar de todas as vitórias arrasadoras da Alemanha, da capitulação da França, da indecisão dos EUA e da certeza do mundo – e de vários ingleses -, de que eles não seriam páreo para o poderoso exército alemão, Churchill manteve sua determinação de não aceitar a dominação de Hitler, mesmo que para isso tivesse que continuar a luta sozinho.

Segundo o autor, esse determinação, além de ser própria do caráter de Churchill, se fundamentava no fato de que ele compreendia o que o nazismo significava, compreendia a mente de Hitler e acreditava que um mundo sob o domínio nazista seria um mondo sombrio e tenebroso.

Dá para perceber isso em suas palavras sobre uma possível vitória alemã:

"então o mundo inteiro, inclusive os Estados Unidos, inclusive tudo o que conhecemos e apreciamos, submergirá no abismo de uma Noca Era de Obscurantismo, tornada mais sinistra, e talvez mais prolongada, pelas luzes da ciência deturpada."

O livro fala tanto de Churchill como de Hitler, de como foram aqueles dias, de seus discursos, atos e planos, e depois da leitura desse livro minha admiração por Churchill e pelo povo inglês aumentou muito.

Churchill se manteve firme, os Ingleses se mantiveram firmes e, após a tentativa frustrada da Luftwaffe de destruir a RAF (promessa que Göering não conseguiu cumprir), Hitler desistiu do plano Leão Marinho e decidiu iniciar o ataque à Rússia e o resto da história a gente já conhece.

Não fosse a firmeza de Churchill o mundo seria muito diferente do que conhecemos hoje!!

Ótimo livro.

Beijos,

Fefa Rodrigues



Nenhum comentário: