sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Drácula – Bran Stocker

Gente, quanto tempo demorei até ler esse super clássico!!! Ganhei de presente da minha irmã, no meu aniversário e terminei a leitura faz umas duas semanas, mas estava sem tempo para escrever!!!

Primeiro, confesso que o livro é totalmente diferente do que eu esperava. Isso porque eu achava que o livro ia contar a história do Drácula, de quem ele era e de como ele se tornou o que ele é. Mas não é o que acontece. Há algumas menções a isso no decorrer da história, mas esse não é o ponto principal do livro. Quando percebi isso, fiquei um pouco decepcionada, mas com o decorrer da leitura percebi que, mesmo sendo diferente do que eu pensava, o livro é muito bom e faz jus a ser classificado como um clássico!!

A versão que eu ganhei é bilíngüe e tem um capítulo a mais que tinha sido retirado das edições anteriores, e se chama O Convidado de Drácula, então, a história começa com a viagem do advogado Jonathan Harker até a Transilvânia e todas as coisas estranhas que acontecem no caminho. O cara é destemido, porque qualquer pessoa em sã consciência teria desistido da viagem!!!

Harker vai até a Transilvânia para finalizar as negociações da compra de alguns imóveis que o conde Vlad Tapes adquiriu na Inglaterra, e para onde ele pretende se mudar. O advogado acaba ficando preso no castelo em ruínas e passando por experiências sobrenaturais e bem desagradáveis na companhia daquele homem estranho, que nunca come e que não tem reflexo no espelho.

Seria suficiente para sacar que o cara é um vampiro, não é? Mas é verdade que no século XIX esses seres não eram tão conhecidos, então – para quem leu naquela época -o livro mantém o clima e mistério, pois, supostamente, não se sabe exatamente o que aquele homem é e o que está acontecendo.

Enquanto isso, na Inglaterra, Mina, a noiva do Harker, e sua melhor amiga Lucy, passam o tempo juntas, numa pequena cidade litorânea. Mina aguarda o retorno do noivo e Lucy, uma bela e doce moçoila que recebeu três pedidos de casamento no mesmo dia, acabou de ficar noiva de um aristocrata.

Esse começo do livro – depois da narração de tudo que Harker passou no castelo – é meio morno porque parece que nada está acontecendo, mas depois que as peças se juntam a gente entende o quebra-cabeça e percebe como a história, que é contada a partir dos diários e anotações de vários dos personagens, é muito bem montada.

A coisa começa a ficar estranha quando Lucy adoece estranhamente, ficando dia após dia mais fraca e pálida, como se o sangue estivesse abandonando seu corpo pouco a pouco, sem que o Dr. Seward, seu médico e um de seus admiradores, consiga entender o que está acontecendo. Preocupado, o médico pede a ajuda de seu ex-professor, e Van Helsing vem para a Inglaterra para ajudar o amigo e identificar qual é a “doença” de Lucy e ajudar em seu tratamento.

Van Helsing avalia a situação e logo entende o que está acontecendo. Lucy havia sido mordida por um vampiro, o próprio Conde Drácula, que tinha chegado à Inglaterra em meio a uma tempestade, num navio sem tripulação, cujo capitão estava morto e amarrado ao leme.

Lucy estava passando pelo processo de “transformação”, mas Van Helsing, não informa o verdadeiro diagnóstico para ninguém, já que o “vampirismo” não era uma situação de conhecimento geral. Assim, ele começa o tratamento de Lucy, fazendo transfusões de sangue e tentando proteger a moça dos ataques noturnos que ela vem sofrendo diariamente. Porém, nada dá certo, e Lucy acaba morrendo apesar de todo o esforço de Van Helsing, de seus admiradores Dr. Seward e Quincey Morris e de seu noivo Lorde Arthur Holmwood.
.
Só com a morte de Lucy e seu “ressurgimento” é que Van Helsing consegue provar para os amigos o que realmente havia acontecido e convencê-los a caçar o vampiro para que ele não espalhe a desgraça por toda Inglaterra. A essa altura, Mina já havia se casado com Harker, que tinha conseguido fugir do castelo de Drácula e, após perceberem a ligação entre os acontecimentos, todos eles, sob o comando de Van Helsing, passam a caçar o vampiro pela Inglaterra e depois por toda a Europa.

Eu amei o livro, e uns dois dias depois de terminá-lo, estava rodando os canais e vi que estava passando a adaptação para o cinema que tem o Keanu Reeves como Jonathan Harker e Winona Ryder como Mina. Confesso que não gostei do filme, a Lucy não era a mesma pessoa do livro e o Conde não tinha aquela aparência monstruosa, então acabei nem vendo até o final.

Para mim o livro é muito bom, muito bom mesmo... já a adaptação para o cinema não me agradou nem um pouco!!!

Então, fica ai mais uma dica de livro!!!

Beijos e boa leitura.

Fefa Rodrigues.

2 comentários:

Nadia Viana disse...

Oi, Fefa. Eu também amei esse livro! Resenhei no meu blog. Pra mim também foi totalmente diferente do esperado, mas porque eu já havia assistido ao filme do Copola e estranhei a diferença. Mas amei mesmo assim. Diferentemente de você, eu também amo o filme. É totalmente diferente do livro, mas encaro como duas histórias diferentes, dois gêneros diferentes até, já que o filme é muito romântico e enfoca a relação (não existente no livro) entre a Mina e Dracula.
Ótima resenha! :)

Beijos.

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Fefa!

Que saudade de comentar aqui!
faz tempo que vi o filme, nem me lembro direito mais, mas você me perguntou outro dia da serie, e ela parece mais fiel ao livro. Eu tenho o livro, já faz bastante tempo, mas não consegui terminar, porem era bem nova quando li, e depois que comecei a ver a serie (preciso voltar, já estou atrasada, mas meu note deu problema e não consigo ver online, Vou ver se baixo os episódios), fiquei com vontade de ler de novo. Vou ver se faço isso esse ano.

Beijos!

Fer