sexta-feira, 5 de julho de 2013

Pensando sobre educação...

As manifestações das semanas anteriores são um bom motivo para refletirmos sobre o que queremos e como poderemos alcançar isso e, nós leitores, somos as pessoas mais indicadas para pensar sobre o assunto, pois, como disse o político francês Jean Jaurès, “só pode haver revolução onde há consciência”.

O que mais parece incomodar o povo brasileiro é a corrupção endêmica que assola não apenas nossa classe política, mas toda nossa sociedade, é o velho clichê “jeitinho brasileiro” que antes de ser motivo de orgulho, deveria nos envergonha. É verdade que, quando se refere aos políticos, a corrupção é mais aguda, mais patente, quando a corrupção é nossa, a gente não vê tantos problemas, a gente sempre tem uma desculpa, uma justificativa.

Eu acredito que a corrupção, ou a tendência a sempre buscar vantagem própria em ao invés do bem de todos, está dentro de nós, de cada um de nós, e somente conseguiremos vencer esse mal reconhecendo que não somos melhores do que os demais e, a partir daí, nos educando. É preciso ter consciência e, então, agir!!

Acredito que educação é a chave. Mas não simplesmente aquela educação que enche nosso cérebro de informação, que nos faz passar no vestibular ou no concurso público, que nos torna mais competitivos, mas sim um tipo de educação que nos ensine a reconhecer a beleza, a entender a vida, a respeitar a existência, que desperte nosso espírito humano e que nos faça valorizar o que realmente tem valor. 

Hannah Arendt falando sobre A crise na educação, finaliza seu trabalho afirmando que:


“(...) todos chegamos ao mundo pelo nascimento e que é pelo nascimento que este mundo constantemente se renova. A educação é assim o ponto em que se decide se se ama suficientemente o mundo para assumir responsabilidade por ele e, mais ainda, para o salvar da ruína que seria inevitável sem a renovação, sem a chegada de novos jovens.  A educação é também o lugar em que se decide se se amam suficientemente nossas crianças para não as expulsar do nosso mundo, deixando-as entregues a si próprias, para não lhes retirar a possibilidade de realizar qualquer coisa de novo, qualquer coisa que não tínhamos previsto, para, ao invés, antecipadamente as prepara para a tarefa de renovação de um mundo comum.”

Eu não sou professora, mas não creio que seja necessário ser profissional da educação para educar, nem tão pouco, que apenas crianças podem e devem ser educadas. Todos nós precisamos dessa educação capaz de nos tornar aptos a repudiar a corrupção que está dentro de nós. É por isso que acredito que mudar o mundo, o nosso mundo, ou o mundo ao nosso redor, é responsabilidade de cada um de nós.

Então, o que fazer?

Primeiramente, tento educar a mim mesma, aprender a pensar, conhecer para ter condições de decidir, questionar as ideias postas, as verdades que se apresentam no meu cotidiano e nas grandes questões da vida, tento analisar meu comportamento e busco extirpar de mim tudo que não convém e, a cada aprendizado, tendo passar isso adiante.

A partir daí, me esforço para despertar nas pessoas um espírito mais crítico, mais analítico, mais questionador e, claro, tento leva-las à paixão pelos livros, porque até onde posso ver, quem ama livros acaba vendo o mundo de uma forma diferente, de uma forma mais humana, no bom sentido!!

Romain Rolland disse que “quem tem a chama de um ideal poderoso, tem o dever absoluto de levantá-lo acima das cabeças de seus companheiros”. Seria esse, o nosso caso, caros amigos leitores??

Beijos e bom fim de semana a todos!!!

Fefa Rodrigues

2 comentários:

Daiana Campos disse...

Concordo plenamente Fefa, a leitura nos proporciona um momento de reflexão, a respeito do mundo em que vivemos e especificamente sobre nossas práticas. Ela é rica em experiências, que mesmo não vividas pelo leitor, influenciara em muito sua prática futura.

Beijos!!

Ingrid disse...

Olá! Encontrei seu blog depois de fazer uma pesquisa sobre um livro que eu queria e encontrei sua resenha a respeito dele http://apaixonadaporpapel.blogspot.com.br/2011/07/lolita-x-memoria-de-minhas-putas.html O livro é Lolita. E vi pela sua resenha que vc não gostou muito dele. Enfim, gostaria de saber se tens ainda ele, pois estou procurando por esta edição capa dura para comprar, mas não encontro e na minha cidade não há sebos :/
Entre em contato comigo pelo meu email ingridsabrina_a@hotmail.com ou pelo meu blog semgenero.blogspot.com.br
Desculpe o incômodo ^^