quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Sobre o medo de tentar

Vira e mexe eu cito a frase que li há algum tempo em um texto do Contardo Caligaris, e que diz "não basta sonhar, é preciso ter coragem". É engraçado como a gente tem medo de tentar, não é? Eu sempre quis escrever, mas tinha medo de expor o que eu escrevia, medo do que as pessoas pensariam, medo do julgamento. Eu sempre quis fotografar, mas sempre ficava sem jeito, com vergonha das pessoas me verem parada na cidade fotografando e apontarem, acharem engraçado ou ridículo.

Mas escrever e fotografar me faz tão bem. Então, eu me dei conta de que o que importa é o que sinto fazendo esssas coisas. Eu vou continuar sendo advogada, trabalhando com tributos, não tenho qualquer pretensão de ser escritora ou fotógrafa, então não importa o que alguém vai pensar ao ler minhas histórias ou ao ver minhas fotos, pois não é disso que eu vivo. O que importa é que, enfim, eu consegui trazer um veio artístico para minha existência que era algo com que eu sempre sonhava... aglo de que eu necessitava.

E o medo? Bem, o medo ainda não foi embora totalmente. Mas estou enfrentando ele, expondo minhas fotos aqui e meus textos aqui, a princípio fingindo ser outra pessoa com medo do que as pessoas falariam. Queria apenas críticas sinceras, e tinha medo de que os amigos, ao lerem, ficassem com "pena" de mim e elogiassem só para não me chatear e que os não amigos zombassem de mim (perdão pela mentira, queridos!!).

Mas chega de medo. Sim, essas são minhs fotos. Sim, os textos são meus. Sejam eles bons ou ruins, é o que eu gosto de fazer nas horas vagas, para tentar "tornar minha vida em poesia".

Obrigada pela força que todos me dão aqui, desde que comecei esse blog evolui muito nessa questão.

Beijos,
Fefa Rodrigues

5 comentários:

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Mas eu devia saber que Os loucos anos 20 era você...apaixonada por essa época como você, só podia :) Eu preciso ler o restante, ainda não terminei, mas adorei os primeiros capítulos, Fê :)

As suas fotos também são lindas. Eu vi ontem, Não sei qual é mais bonita, da igreja, a fresta de luz pela porta, a bandeira tremulando (aliás, achei bem legal como você pegou essa, no momento certo), se as de Brotas, as com a máquina de costura...adorei essas mais rústicas, tipo casa de campo.

Continue com as fotos, sim, e a escrever, que você escreve muito bem (e isso eu invejo um pouquinho, porque tenho muita dificuldade para achar algo para escrever que não seja resenha ou algo parecido. Queria muito fazer como você e o Nerito e escrever uma história).

Beijos!

Dora Delano disse...

Menina, sabe que eu cogitei essa possibilidade. E o texto é, sim, muito bom. É bem escrito e bem ambientado. Você tem um talento, Fe! E vem logo para o Rio para tirar uma porção de foto dessa selva de pedra construída em meio às belezas naturais.

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Fefa!

Eu AMEI Os Miseráveis! Tenho até saudades dos personagens (ainda bem que o filme tá chegando :)) É lindo mesmo, eu lembro da passagem que você falou, de um preso das galés nunca mais poder voltar pra sociedade, sim. No fundo, todos os personagens do livro são produtos do seu meio, né? Javert é como é porque ele não tem outra alternativa, Jean consegue respeito e admiração, mas não consegue nunca deixar de ser o preso das galés. Uma coisa que eu esqueci de mencionar foi que me apaixonei pelo Marius antes mesmo de ele aparecer no livro, só porque que, faz é o Eddie Redmayne que eu amo como Jack Builder em Os Pilares da Terra <3

Super obrigada pela dica, eu não acredito que demorei tanto tempo pra tomar coragem e ler. Vou reler um dia, com certeza :)

Beijos!

Vitor disse...

Passei aqui para avisar sobre uma coleção da Segunda Guerra, chamada Atlas Segunda Guerra Mundial. São três volumes, tenho o segundo e o terceiro (não achei o primeiro); eles são recheados de mapas que explicam todas as batalhas que ocorreram. Achei que você gostaria de saber, já que é fascinada pela Segunda Guerra.

PS.: A editora é a Livros Escola (ao que me parece) e quem escreveu foram David Jordan e Andrew Wiest. Colocarei em breve mais sobre o atlas. E se você conseguir achar o primeiro (antes de mim), me fala, estou doido para comprar, rs.

Vitor disse...

Passei aqui para avisar sobre uma coleção da Segunda Guerra, chamada Atlas Segunda Guerra Mundial. São três volumes, tenho o segundo e o terceiro (não achei o primeiro); eles são recheados de mapas que explicam todas as batalhas que ocorreram. Achei que você gostaria de saber, já que é fascinada pela Segunda Guerra.

PS.: A editora é a Livros Escola (ao que me parece) e quem escreveu foram David Jordan e Andrew Wiest. Colocarei em breve mais sobre o atlas. E se você conseguir achar o primeiro (antes de mim), me fala, estou doido para comprar, rs.