segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Sobre mudar o Mundo

Quando eu era criança e, na minha cama quentinha, a noite, pensava nas crianças que não tinham casa, eu sonhava acordada, pensando que, que quando crescesse, iria comprar uma casa bem grande e levar todas as crianças da rua para morar lá. 

Quando eu era adolescente, pensava em ir para a Africa e fazer trabalhos comunitários, ajudar as pessoas. Quando eu fiz faculdade de direito, sonhava em trabalhar na ONU, porque pensanva que esse sim era um trabalho no qual eu poderia ajudar as pessoas. Na verdade, eu sonhava em mudar o mundo de uma forma por demais utópica. 

Como eu estou numa fase de revisão de conceitos e comportamentos, fiquei relembrando ontem a noite esses sonhos que eu sonhava antes que a necessária praticidade da vida me levasse a me tornar uma advogada tributarista que trabalha apenas com questões técnicas sentada numa mesa, atrás de um monitor, o dia todo. Imaginei se era possível que, daqui do conformo da minha sala, eu pudesse fazer algo que fosse capaz de mudar o mundo. Conclui que não, que eu não posso mudar o mundo todo.

Mas percebi que posso mudar o mundo de alguém. Foi então que eu lembrei da Visão Mundial uma organização inspirada nos princípios critsãos lá da Reforma, que privilegia o ensino e a educação como forma de mudar o mundo criando oportunidades para que as pessoas possam, por si mesmas, encontrar caminhos. Eles fazem isso por meio do apadrinhamento de criaças que participam de seus projetos, com as quais nós, os padrinhos, podemos ter contato por meio de cartas e até mesmo fazer visitas para acompanhar seu desenvolvimento.

Foi o que eu fiz hoje pela manhã, acabei de apadrinhar um anjinho de nome Rayanne, que vive em Alagoas e tem 5 anos. Agora, já começo a sonhar com essa menininha, a pensar em mandar livrinhos para ela, e roupinhas... e esperar uma cartinha escrita por suas mãozinhas quando ela aprender a escrever.

Hoje eu acordei querendo mudar o mundo de alguém, e ao tentar fazer isso, foi meu mundo que mudou, mudou para melhor!!!

Beijos;
Fefa Rodrigues

PS: Para saber mais, clique aqui.

PS2: Apesar dessa "inspiração cristã" não há nenhuma vinculação religiosa nos projetos.


2 comentários:

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Muito legal, Fefa!

Parabéns pela iniciativa. Acho esse tipo de ajuda muito mais válida do que doar para uma instituição. Assim você ajuda diretamente alguém que precisa.

Beijos!

Daiana Campos disse...

Lindo o trabalho que fazem com essas crianças e muito importante é a participação dos padrinhos, você realmente pode se orgulhar do seu ato, abraços.