sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

A TRAIÇOEIRA NOTURNA



Este é um texto da minha irmã, ela está esperando um bebe. Minha irmã Francine é uma das pessoas mais divertidas e engraçadas que eu conheço, escreve muito bem e esse texto ficou muito legal... ela postou no face dela, e resolvi compartilhar com vocês!!!



A TRAIÇOEIRA NOTURNA
por Francine Rodrigues

"Depois de alguns quilinhos a menos, frutos de horas e horas ao lado do meu inseparável amigo vaso sanitário, deixando os hormônios gestacionais agirem com liberdade sob meu frágil estômago, há 4 dias sinto que algo mudou, ou melhor a fome voltou. 

Como muitas amigas falaram, parece que um botãozinho é desligado e tudo fica lindo novamente. Realidade positiva, porém traiçoeira.


Ontem, depois de um dia de trabalho e assaltos rápidos a geladeira da nossa copinha, voltei pra casa moída e capotei no sofá assumindo uma forma geométrica que até Picasso duvidaria. Ronquei igual ao um anjinho com problema respiratório.


Lá pelas tantas acordei, sem sono e com o marido me atropelando, quer dizer, delicadamente me chamando para ser a sua companheira de sempre em nossa caminha.


Não demorou 5 minutos e o homem da minha vida já estava dormindo o sono dos deuses, enquanto isto eu parecia mais um bife de frango sendo grelhado de todos os lados. Vira pra cá, vira pra lá e volta pro centro. Nada de sono.


Eis que surgem ideias infindáveis que julgo as responsáveis pelo meu sono, quando que como um passe de mágica a traiçoeira fome vem assolar uma pobre gestante com insônia.


Pensando na “meta de quilos” para esta gestação, tento parar de pensar naquela ideia que consome minha mente e meu bucho.


Dei a volta no mundo com pensamentos, mas sempre eles acabavam na cozinha de algum lugar: fazer caminhada amanhã cedo, comprar gás amanhã, hum...tem um pãozinho egg sponge no microondas! Se controla Fran! Bem, comprar o presente da chefa, avisar da carona para a colega do próximo plantão, hum...que saudades do pastel do Coco Verde! Jesus, no que eu to pensando?! Vamos lá... cortar o cabelo e a depilação urgente, e lá tem uma balinha de canela, ai que vontade! Cruz-credo! Mentaliza: fazer a inscrição da pós, pagar a conta X e passar na padaria comprar aquela coxinha com catupiry que só tem na Padoca 15.


Depois de lutar contra minhas vontades e sonhos indesejados (hum, o sonho da Humaitá – opa! Continua Fran), venci o cansaço e fui assaltar a geladeira. Parecia que eu estava prestes a desarmar uma bomba nuclear pela forma que cheguei com as pontas do pé na cozinha.


Preparei o lanchinho dos meus “sonhos” e de repente a agente secreto da CIA foi demitida: a louça do jantar se desequilibrou e fez um mega barulho. Por sorte, o meu príncipe roncador, quer dizer, encantado não acordou. Então, pude deliciar aquele pãozinho com manteiga e achocolatado.


Aprendi que a fome de gestante é voraz, que é de uma forma que nunca imaginei, e não adianta tentar mudar de ideia, ela afeta até os nossos sonhos mais profundos!"



Beijos,
Fefa Rodrigues

Um comentário:

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Adorei, Fefa!

Duplo parabéns pra sua irmã, pelo texto, que está divertido, e pelo bebê! :) Manda um beijo pra ela (é engraçado, a gente não se conhece pessoalmente, mas eu já me sinto da família ;D)

Beijos!