terça-feira, 29 de maio de 2012

A Mulher de Preto

Junte um casarão antigo e em ruínas, uma vila cheia de pessoas supersticiosas, crianças que morrem misteriosamente, uma família que passou por uma perda traumática e a lenda de que o casarão é assombrado, tudo isso na Inglaterra do início do século XX. Assustador!!


Assiti a este filme ontem e levei vários sustos. O filme conta a história do jovem advogado Arthur Kipps que, após perder sua esposa e ficar sozinho com seu filhinho, tem uma última chance de manter seu trabalho, e é enviado para uma pequena cidade do interior para avaliar os bens deixados por um cliente que acaba de falecer. Depois de ser impedido de ficar no pequeno hotel da cidade, ele acaba se instalando no casarão do falecido cliente, que fica literalmente no meio do nada e lá, enquanto levanda a extensa documentação, coisas estranhas começam a acontecer.

 
Como Kipps passa bastante tempo sozinho no tal casarão, o filme se passa quas em silêncio, sem muitos diálogos, e isso criou um clima de suspense e tensão muito legais. E para mim, só o ambiente do filme já vale a pena, pois como já cnsei de dizer por aqui, eu amo casarões antigos, e sempre que olho para um desses, imagino um fantasma na janela. 

 
É um bom filme e eu adorei o comentário do site Omelete sobre ele, que vou trancrever:

"Nas histórias de terror não tem emprego pior que procurador, advogado ou escriturário. Como Jonathan Harker aprendeu em Drácula, é meio caminho para ver-se sozinho e indefeso em imóveis mal assombrados - porque mesmo os castelos da Trânsilvânia precisam estar com a papelada em dia, afinal."


Só é estranho ver o Daniel Radcliffe em outro papel que não o Harry Potter, mas achei que ele conseguiu se sair bem!!!

E, acho que poderia ter sido desenvolvida melhor a história da mulher-fantasma, mais detalhes... Ainda assim recomendo.



Beijos;
Fefa Rodrigues


11 comentários:

Dora Delano disse...

eu não vejo de maneira nenhuma filmes de terror. Depois eu não durmo, é uma tristeza.

Mas também adoro casarões. Adoraria visitá-los de dia, com bastante luz entrando.

Tinha um casarão aqui perto de casa e sempre q eu passava perto dele, eu me imaginava lá dentro numa aventura de exploração!

Fefa Rodrigues disse...

Dora, não vê mesmo? de jeito algum??? Este dá medinho, mas não são tanto os sustos, mas i clima melancólico e silencioso que cria a tensão hehehe... acho que vc aguenta, heim!!!

Aqui em Tatuí tem um casarão muito legal... abandonado, demais... da pra imaginar centenas de histórias!!!

CMachado disse...

Olá Fefa!!

Vou ver assim que der!
Mas,temo não ter mais um filme de terror bom mesmo... como "Os Outros" com a Nicole Kidman, O Sexto sentido com Bruce Willes e Ghost com Patrick Swayze...

Bjk

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Fefa!

Eu em geral não gosto de filmes de terror, mas adoro filmes assim, um terror psicológico...E eu estou curiosa para ver esse filme, por causa do Dan mesmo. Mas não vi ainda, e sua resenha só me deixou com mais vontade ;D

Beijos!



PS: BLACKWATER EM GOT DOMINGO FOI DEMAIS!!!!!!!!!!!!!MELHOR EPISÓDIO ATÉ AGORA! Comentários no blog até o fim da semana!

Beijos!

Fefa Rodrigues disse...

Orquidea, Os Outros realmente é um dos melhores filmes que já assiti.... muuuuuito bom!!!


Feeee... não quero que acabe!!!!!!!!

Nerito disse...

Puxa, fiquei com vontade de ver esse filme. Gosto muito de filmes com uma ambientação dessa.

Quando criança, morei em um enorme casarão e sempre tinha pesadelos com fantasmas... acho que por isso acabei desenvolvendo esse interesse por histórias similares...

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Fefa!

Também não quero!!!!!! POr mim podia ter umas 20n temporadas, todas grudadas uma na outra ;D

Os outros é bem legal mesmo, mas eu prefiro O Sexto Sentido.

Beijos!

Araí NRL disse...

Ótimo poste, fiquei com vontade de ver o filme.

Gabi Castro disse...

eu quero muito ver este filme!!! O "Harry Potter" (kkkkk) está muito lindo! rsss

Bibi

Vitor disse...

Fefa, eu vi ele ontem a noite e depois já sabe né? Gostei muito, e aquela casa no pântano, assustadoramente arrepiante. Esperei que ele fosse maior e com um final diferente, mas valeu a pena.
Abraços,
Vitor Vieira

debi disse...

Vi no cinema. Pois é, dá um certo medinho...